A montanha russa atleticana

A montanha russa atleticana
Pedro Souza / Atlético

E o atleticano viveu uma verdadeira montanha russa de emoções desde o último sábado. Ao empatar com o São Paulo, no estádio do Morumbi, o Atlético abriu espaço para a aproximação de Palmeiras e Flamengo na briga pelo título do Brasileirão. Apesar de ser um ótimo resultado jogando fora de casa, isso gerou tensão e expectativas em muitos atleticanos, e me incluo nesse grupo. Na busca incansável para ampliar a diferença, qualquer empate acaba gerando essa frustração. Mas tudo começou a melhorar quando, no próprio sábado, o Palmeiras foi derrotado pelo Corinthians. Agora dependíamos do América para tirar pontos do Flamengo, algo quase impossível. Ter que depender do fraco time do Coelho para tirar pontos do “todo poderoso Flamídia” era algo quase impensado para mim. Mas os deuses do futebol nos deram esse milagre de presente. Com o empate do Flamídia, o Galo ampliou a vantagem para o Palmeiras para 8 pontos, além de manter a diferença para o queridinho da imprensa em 5 pontos.

Devemos lembrar que esses 5 pontos de diferença já é considerando que o Flamídia ganhará todos os jogos atrasados, o que pode não acontecer. A alegria e a empolgação estavam novamente de volta aos atleticanos. A chave virou para a batalha do Mineirão, pela Libertadores, contra o Palmeiras. Com confiança em alta a expectativa era da confirmação da classificação contra um medroso palmeiras, ao menos no primeiro turno. A festa e o ambiente fora do Mineirão eram sensacionais. Torcida em campo, a pressão das arquibancadas no inicio do jogo, e logo a tensão começou a tomar conta. O pênalti perdido por Hulk no primeiro jogo ainda nos assombrava, mas a confiança ainda era muito grande. Quando veio o primeiro gol junto veio a certeza que a classificação viria. Aí o instável Vargas perdeu um gol incrível, cara a cara com o goleiro, após ter desperdiçado chance clara de colocar Hulk na cara do gol, e parecia um sinal de que a coisa começava a ficar estranha. E num vacilo de Nathan Silva, em um lance juvenil, azedou o caldo.

O sonho da classificação para a final da Libertadores, e de continuar na briga por todos os títulos do ano, foi por água abaixo. Mas agora é bola para frente, pois ainda temos títulos a disputar. O luto será curto pois lideramos o Brasileirão com certa vantagem, e temos a semifinal da Copa do Brasil. Tenho certeza que esse ano teremos glórias a comemorar. Vamos sacudir a poeira e seguir, já que nós atleticanos não desistimos nunca.

Vaaaaaamos Galo!!!!!

As opiniões contidas nesta coluna não refletem necessariamente a opinião do portal Balcão News.