Amizade é fundamental para o desenvolvimento infantil

Manter relacionamentos é fundamental para o desenvolvimento saudável da criança, que aprende a se comunicar, a partilhar, negociar e ter autonomia

Amizade é fundamental para o desenvolvimento infantil

Já ouviram a frase “Quem tem amigo tem tudo” ? Então, para a criança a amizade tem um peso ainda maior, sendo essencial para o seu desenvolvimento. Quando ainda bebê elas têm como referência social única e exclusivamente os pais, que suprem todas as suas necessidades. Seu desenvolvimento é baseado puramente em observação e ações individuais. Mas com o passar do tempo elas desenvolvem funções cognitivas, que fazem com que necessitem de ampliar suas relações e interações com o mundo fora do ambiente familiar. Estimular que seu filho se relacione, que passe um tempo com os amiguinhos, é muito importante para a sua infância. Ainda mais em tempos tão difíceis, onde as pessoas estão cada vez mais fechadas. Fazer amigos é fundamental para o desenvolvimento saudável da criança, aprendendo a se comunicar, a partilhar, negociar, a ter autonomia. “Com um amigo a criança aprende o diferente, se questiona”, como diz a educadora e antropóloga Adriana Friedmann. A função da amizade vai muito além das brincadeiras, e é ela que fornece estrutura para a formação da própria identidade da criança. De acordo com estudos a amizade é uma importante ferramenta para a saúde emocional dos pequenos, trazendo maior estabilidade, autoconfiança, e desenvolvimento da empatia.

Na escola podemos ver isso muito claramente, onde a amizade ajuda no entrosamento, no rendimento escolar, trazendo benefícios ao bem-estar da criança. Percebam o quanto os pequenos sofreram nesse período de pandemia, sendo obrigados a ficar longe dos amigos de escola. Elas precisam muito destas relações, e brincar com amiguinhos fazem com que elas se familiarizem com normas e processos sociais que envolvem essas relações interpessoais. E olha, a diferença de uma criança brincando sozinha e com outras crianças é enorme. Esses dias levei a Sofia para brincar em uma praça e, por acaso, encontramos com uma amiguinha dela. O divertimento, interação, a entrega que elas têm quando estão brincando em grupo é realmente muito maior. A alegria estampada na cara, e no suor dela, mostra exatamente isso. A verdade é que criança gosta de criança. Outro fator muito importante a se dizer em relação as brincadeiras é relativo a forma de interferência dos pais nas questões que envolvem essas brincadeiras. Nós pais devemos deixar que elas se resolvam, com o mínimo de interferência. É normal que elas troquem de brinquedo, que tomem da outra, que saiam correndo para não deixar que pegue de volta. Mas tudo isso faz parte desta fase de desenvolvimento social dos pequenos, e não devemos ver como falta de educação. A intervenção dos pais de forma exagerada pode causar um isolamento, não permitindo que a criança viva essas experiências de trocas e negociações. Por isso devemos sempre interceder em casos extremos, auxiliando nessa mediação, deixando que elas se resolvam. Estimule seu filho a fazer amizades, deixe que brinque, que desenvolva suas habilidades, pode ter certeza que estará formando um adulto emocionalmente muito mais saudável.