Bolsonaro diz que demissão de Alexandre Garcia da CNN é “absurda”

O jornalista foi demitido da CNN por defender o tratamento precoce contra a Covid, que estudos atestam ser ineficaz

Bolsonaro diz que demissão de Alexandre Garcia da CNN é “absurda”

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou, nesta segunda-feira (27/9), a demissão do jornalista Alexandre Garcia, da CNN Brasil.

Em comunicado oficial, divulgado na noite de sexta-feira (24/9), a CNN Brasil afirmou que rescindiu o contrato com Garcia após o mesmo defender, por repetidas vezes, o tratamento precoce contra a Covid-19, que é comprovado cientificamente ineficaz contra o vírus.

“Cada vez mais nos preocupamos, hoje em dia, com a liberdade. Assistimos semana passada algo estarrecedor, numa grande rede de televisão, num quadro conhecido como “Liberdade de Opinião”, um famoso jornalista foi demitido por sua opinião. Não tem coisa mais absurda do que isso, para onde estamos caminhando?”, disse o presidente durante solenidade de lançamento do Crédito CAIXA Tem, no Palácio do Planalto.

O chefe do Executivo é declaradamente favorável ao tratamento precoce contra a Covid-19. As organizações mundiais de saúde e até mesmo o Ministério da Saúde não recomendam a utilização do chamado “kit Covid-19”, por se tratarem de medicamentos que, além de não terem comprovação cientifica de eficácia contra a doença, podem trazer sérios efeitos colaterais.

No comunicado de demissão, a emissora disse que a decisão foi tomada após o comentarista reiterar a defesa do tratamento precoce contra a Covid-19. Não foi a primeira vez que Alexandre Garcia defendeu publicamente a utilização dos medicamentos.  Por vezes, a CNN Brasil teve que desmentir afirmações nas quais o jornalista afirmava que as drogas tinham eficácia contra o vírus que já matou quase 600 mil brasileiros.

Na sexta-feira, data em que o jornalista foi demitido, ele havia defendido que o “kit covid” salvou milhares de vidas. Garcia também elogiou a Prevent Senior, administradora de planos de saúde que é alvo de investigações no Ministério Público, na Polícia Civil e na CPI da Covid por supostamente pressionar seus médicos conveniados a tratar pacientes com os remédios sem eficácia.

Ao final da participação de Alexandre, a apresentadora Elisa Veeck desmentiu a fala e reforçou que as opiniões dos comentaristas da CNN não refletem a posição da emissora.

“Reitero sempre para vocês que nos acompanham que as opiniões emitidas pelos comentaristas do quadro não refletem necessariamente a posição da CNN. E mais um acréscimo aqui neste fim do quadro de hoje, a CNN ressalta que não existe um tratamento precoce comprovado cientificamente para prevenir a Covid-19. O que a ciência mostra é que a prevenção, com o uso de máscaras e a vacinação, são as únicas maneiras de combater a pandemia”, corrigiu Veeck.

Em junho, durante o programa “Liberdade de Opinião” o jornalista Rafael Colombo, também da CNN Brasil, discutiu ao vivo com Alexandre Garcia, que havia defendido a hidroxicloroquina,  medicamento indicado pelo presidente Jair Bolsonaro contra a Covid-19.

O post Bolsonaro diz que demissão de Alexandre Garcia da CNN é “absurda” apareceu em Metrópoles.

LEIA TAMBÉM:

Latinha x Garrafa: Existe uma melhor?

Machismo e feminismo são muito chatos

Como evitar dores na coluna durante as viagens de avião

Coluna Alma Alvinegra: É hora de foco, e olho no sistema

Cegos pelo medo e pela ignorância

Campeonato Mineiro começa neste sábado com novidades

A influência da tecnologia no desenvolvimento infantil

Coluna Squadra Celeste: Nem tudo é o que se vê