Cachorro não é gente

Coluna Confusão - José Francisco Resende

Cachorro não é gente
Pinterest

Alô a todos.

O tema hoje é polêmico. Como quase sempre né? Mas será muito útil se você tem um cão em casa, no seu apartamento, no seu sítio, leia com muita atenção!

A gente foi doutrinado a humanizar os animais como se fossem “filhos”. Nos anos 60 e 70 fomos muito influenciados pela Lassie (uma cadela heroína) o Lobo – do Vigilante Rodoviário que era uma espécie de super policial e Rin Tin Tin, o cachorro que protegia uma criancinha indefesa e todos os que eram “do bem”. E aí essas histórias foram entrando para o senso comum de que “o cão é o melhor amigo do homem”. Uma frase de efeito, que como sempre, foi dita tantas vezes que acabou se incorporando ao nosso imaginário.

Olha, é preciso entender que cão é um animal, age por instinto, não é seu amigo, apenas criou o instinto de estar ao seu lado, porque você o alimenta, por que você passeia com ele, enfim. Ele não age como ser humano. Ele não tem necessidade de afeto, de festa quando chegamos em casa... Se você insiste na ideia de que o cão pode ser amigo, pegue aqueles dois cães que convivem, que estão sempre brincando e prenda em um canil. Dois dias depois, jogue um pedaço de carne. Se os dois dividirem a carne, podem comentar como sou imbecil. Cão é um animal caçador por natureza. Se você não acredita, veja os dentes do seu animal e perceba os caninos (viram o nome?) CANINOS. Cão é um animal de toca. Ele se esconde quando quer, ou percebe perigo iminente ou quando vê o seu território invadido por qualquer coisa que ele não conheça.

Passe a observar o comportamento do seu animal. É a melhor forma de você interpretar como ele age, ou reage. Cães têm controle e não têm controle. Aí é que mora o perigo. Um chihuahua descontrolado é tão agressivo quanto um Pitt Bull. Só que por uma questão de tamanho um pode te machucar e o outro pode te matar. Um cachorro fora de controle é uma arma. Se for pequeno é um prego. Se for grande é uma metralhadora. Então você está dizendo que um Rottweiler pode ser uma boa companhia para uma criança? Se ele for controlado sim. Porque criança costuma beliscar o cachorro, pode cair sobre o cachorro e se ele cair sobre um shitsu o cão pode reagir por INSTINTO DE DEFESA e morder essa criança. Já as raças maiores são mais resistentes à dor e podem não reagir. Tenho grandes amigos que têm filhos pequenos e convivem perfeitamente com uma matilha de cães enormes. Cães têm dois instintos opostos com os humanos. E agem por eles: Frustração e excitação. Isto é que deve ser controlado. Segundo um dos maiores conhecedores de cães do mundo, Jairo Teixeira enfatiza em suas palestras por TODOS os continentes que: Se você vive com o cachorro no colo, fazendo carinho, coçando o braço, as pernas, o corpo, o rabo, quando você sai para o trabalho ou para qualquer a lugar que precise se ausentar, o animal sofre uma frustração imensa e procura compensar usando qualquer coisa que lembre o seu cheiro: Morde o seu chinelo, seu sapato, o controle remoto da televisão e PRINCIPALMENTE o seu celular, como forma de sentir sua presença. Cão no colo vira dono do dono ou da dona. Cães não distinguem afeto. Então, o correto a se fazer, desde os primeiros anos de vida é: Primeiro a restrição: À comida, ao lugar onde fazer necessidades, e ser persistente ao ponto de modificar o comportamento. Aí sim, vem a educação (comando) para doutrinar o cachorro ao seu modo de vida. Raças não importam. As raças não tornam o animal domesticado mais ou menos agressivos. Os donos sim. Enfim, ao invés de trata-lo da maneira “vem com o papai”, “vem com a mamãe”, e depois ter que castiga-los por não agirem da forma que você quer, faça menos carinhozinho e ensine o seu “pet” para que você não fique com vergonha tá?

Até a próxima semana.

As opiniões contidas nesta coluna não refletem necessariamente a opinião do portal Balcão News.

  • Marcos Almeida
    Marcos Almeida
    José Francisco, temos dois cachorros e um gato e são da nossa família. Discordo de você, pois os animais são totalmente sensitivos e amam seus tutores, os nossos animais numca comeram chinelo, o pé da poltrona e nem controle de televisão, eles são carinhosos dóceis e nos fazem companhia quando estamos estressados, tristes e alegres. O amor ao animal não tem nada haver de acharmos que ele é um ser humano e sim uma criatura que foi criada por Deus. Amamos os animais de qualquer espécie e sabemos que eles têm sentimentos. Minha cadela Kaila curou minha filha de uma depressão, o meu cachorro Betowen é a alegria de minha esposa, muito carinhoso, e a nossa gatinha Milka simplismente o amor que a gente não conhecia por preconceito aos gatos. Agora vamos adotar mais um. Queremos uma casa cheia de PET's
    23 days atrás Responder  Curtir (0)

Qual é a sua reação ao ler esse conteúdo?

like
6
dislike
2
love
2
funny
0
angry
0
sad
2
wow
0
José Francisco Resende - Advogado, Mestre e Doutor em Comunicação Social. Foi superintendente da Lar Imóveis, pós graduando em pericia criminal e investigação forense, foi coordenador de Marketing da Federação do Comércio, Bens e Serviços – Fecomércio MG, coordenador nacional de marketing da Pharlab – Indústria Farmacêutica e CEO da Multicom do Brasil, empresa de Comunicação de âmbito nacional. Foi consultor do Grupo Balcão e especialista de comunicação. Palestrante do SEBRAE MG. Leia sua coluna toda sexta-feira no Balcão News!