Casos de conjuntivite tendem a crescer no outono

Coluna Dr. Leonardo Gontijo

Casos de conjuntivite tendem a crescer no outono
Freepik

A chegada do outono exige um pouco mais de atenção com a saúde dos olhos. A queda das temperaturas, a incidência de ventos e a diminuição da umidade do ar culminam em ambientes mais fechados, o que tende a facilitar a proliferação de vírus e bactérias, como é o caso das conjuntivites. Para quem não se recorda, Minas Gerais viveu um surto de conjuntivite em 2018, com mais de 800 casos nos três primeiros meses daquele ano registrados pela Secretaria Estadual de Saúde.  

A condição é uma inflamação da conjuntiva, uma membrana delgada e transparente que reveste a parede do globo ocular e das pálpebras, e costuma durar de uma semana a 15 dias. Divide-se em dois principais tipos: infecciosa, quando é causada por vírus, bactérias, fungos ou protozoários, e não-infecciosa. Nas conjuntivites virais, a transmissão é pelo espirro, perdigoto e saliva; na bacteriana, o contágio é pelo contato direto com objetos contaminados pelo agente infeccioso. Usualmente, os tipos não-infecciosos afetam os dois olhos, são provocados por agentes externos irritantes, como poeira, pólen e produto químico.

Os sintomas consistem em sensação de areia ou corpo estranho nos olhos, ardência, coceira, visão embaçada, olhos vermelhos e lacrimejantes, pálpebras inchadas e secreção. Compressas com água gelada e lavar os olhos com soro fisiológico gelado ajudam a aliviar os incômodos, mas é necessário se consultar com um oftalmologista para o diagnóstico e tratamento corretos 

A conjuntivite não costuma se agravar, contudo é fundamental manter certos cuidados para preveni-la e evitar sua propagação, incluindo a higienização das mãos. Evite coçar os olhos, pois o atrito pode provocar lesões e facilitar a entrada de fungos e bactérias. Para quem usa lentes de contato rígidas, guarde-as em estojo com solução de limpeza própria para tal e jamais use soro fisiológico para limpá-las. As lentes gelatinosas devem ser descartadas. Além disso:  

·         Lave sempre as mãos antes de levá-las ao rosto;

·         Use óculos de sol com lentes de boa procedência e proteção ultravioleta;

·         Use apenas colírios prescritos pelo médico;

·         Jamais compartilhe toalhas, maquiagem e colírios;

·         Mantenha o filtro do ar condicionado sempre limpo;

·         Mantenha o ambiente sempre livre de pó;

·         Mantenha os ambientes arejados e com boa exposição ao sol para evitar a formação de bolor ou mofo;

·         Lave roupas guardadas há muito tempo antes de usá-las;

·         Mantenha os animais de estimação sempre limpos e tosados, e evite que fiquem no quarto de pessoas com alergias a eles.