Cerveja Brut – Estoure uma cerveja para celebrar o novo ano

Uma dica de boa cerveja para brindar a virada do ano!

Cerveja Brut – Estoure uma cerveja para celebrar o novo ano
Acervo Pessoal

Sextou para fechar o ano de 2021! Sabemos que foi mais um ano difícil para muitos, sob vários aspectos, mas sou daqueles que gosta de ver sempre a metade cheia do copo, principalmente se for de cerveja, e não perco a oportunidade de brindar a vida, a família, os amigos e cada conquista! E para receber o novo ano que se inicia, que tal estourar uma boa cerveja. Isso mesmo que você leu... Estourar uma boa cerveja, uma Cerveja Brut!
Um dos maiores presentes da irreverente Escola Belga (clique aqui e relembre) é a Bière Brut, uma cerveja desenvolvida recentemente, já no século XX, na cidade de Buggenhaut, a noroeste de Bruxelas, capital da Bélgica. A inovadora categoria foi criada pela Bosteels (@bosteelsbrewery), uma cervejaria fundada em 1791 e famosa pela produção das reconhecidas Tripel Karmeliet e Pauwel Kwak.

Dessa vez, a sacada dos cervejeiros da marca foi misturar processos de produção de diferentes bebidas. Após fabricar a cerveja, normalmente uma Belgian Golden Strong Ale ou Tripel, a bebida era levada para caves responsáveis pela produção dos melhores espumantes franceses e lá, passaram a cerveja pelo método de champenoise, que basicamente é uma segunda fermentação dentro da própria garrafa.

E o que isso quer dizer? Nascia-se então o estilo Brut, também conhecido por Bière de Champagne ou Bière Brut, que resultou em uma cerveja extremamente leve, suave e elegante, com baixo amargor e que como resultado do  champenoise, possui uma alta carbonatação, sensação frisante, uma complexidade aromática diferente do normal e completa limpeza das leveduras residuais, conferindo uma bebida bastante brilhante e transparente.

A primeira a utilizar o processo na própria região de Champagne, na França, é a Deus, ícone do universo cervejeiro e que tem como base a Tripel Karmeliet, um dos outros rótulos produzidos pela própria Bosteels. Após os usuais processos de fermentação e maturação, a Deus é transportada à França para passar pelo método champenoise, que dura pelo menos 12 meses para ser finalizado. Temos então uma cerveja elegante e marcante, mas fácil de beber, e que traz aromas cítricos, florais e herbais muito agradáveis. Já tive a oportunidade de beber duas vezes e ela merece uma coluna própria, para ira do meu amigo Vasquim!

No Brasil existem duas opções de destaque na primeira prateleira, que são a Eisenbahn Lust (@eisenbahn), primeira cerveja do Brasil a usar o método champenoise. Fiel ao estilo, é uma cerveja leve, muito refrescante, persistente e de baixa acidez. Na mesma linha, e escolhida para ilustrar essa coluna, temos a Wals Brut (@walscervejas), cerveja complexa e delicada, como o processo pede. Possui coloração dourada, aromas que te levam ao vinho branco e notas cítricas.

Ela é uma cerveja realmente sofisticada, mas ao mesmo tempo interessante, que pode se tornar realmente uma atração para o Ano Novo. Que 2022 traga a todos nós um ano repleto de motivos para brindar. São os votos do @maisumlupulo e deste humilde, mas sempre animado, Beer Sommelier... Cheers!