Clássico mineiro nos bastidores

Sem treinador Cruzeiro procura Lisca Doido e América confia na permanência do técnico

Clássico mineiro nos bastidores
Daniel Hott / América

A péssima campanha na Série B do Campeonato Brasileiro fez o Cruzeiro demitir mais um treinador esta temporada. Ney Franco foi desligado do clube após o empate em 0x0 contra o Oeste, último colocado do torneio, e deixa a Raposa após sete jogos no comando e um aproveitamento baixíssimo de 33,3%. Com sua saída o time mineiro buscará o quarto técnico somente em 2020.

O novo comandante não terá vida fácil na Toca da Raposa, já que o time aparece na 19ª posição, lutando contra o rebaixamento, afundado em dívidas e cumprindo uma grave punição da FIFA: proibido de registrar novos atletas por não pagamento de valores acordados.

Para assumir o difícil compromisso a diretoria azul celeste tenta agir rápido e não pensou muito além de BH. Bastou olhar para o rival América e definir seu alvo: Lisca Doido. O técnico do Coelho é o nome preferido da alta cúpula cruzeirense e já teria recebido a proposta para trocar de lado, e caso aceite deixaria o alviverde na 3ª posição da Série B, classificado às Oitavas de Final da Copa do Brasil e com a boa campanha no Estadual (3° Colocado).

Lisca assumiu o América no final de janeiro, após Felipe Conceição aceitar a proposta do Red Bull Bragantino. Em sua chegada prometeu manter a boa performance do ex-treinador e evoluir ainda mais em busca do principal objetivo do ano, o acesso à Série A. Os bons resultados apareceram e a temporada americana tem enchido os olhos dos torcedores, que além do acesso sonham com uma boa caminhada na Copa do Brasil, já que o sorteio colocou o Coelho como adversário do Corinthians, que vive péssimo momento e luta contra o Z4 na Primeira Divisão. A classificação para as quartas de final é uma realidade viva no CT Lanna Drumond.

Na noite de ontem (11), em entrevista à Dimara Oliveira, na Rádio Super, o presidente Marcus Sallum foi categórico ao informar que Lisca recusou a proposta cruzeirense, onde teria um salário maior que o atual e faria parte de um projeto a longo prazo, envolvendo a recuperação na Série B e o centenário do clube em 2021. Oficialmente ainda não se tem certeza de como terminará esse clássico além das quatro linhas, mas promete um jogo de muita estratégia nas próximas horas.