Desperdício de talento

Coluna Confusão - José Francisco Resende

Desperdício de talento
Hiroyuki Ito

Olá a todos.

O assunto desta semana é sobre como a maioria dos grandes

profissionais do mundo desperdiça talento com o fato de onde aplica suas habilidades. Esse é um fator extremamente importante que delimita sucesso de fracasso. Você pode ter uma excelência grandiosa naquilo que você faz. Mas se você desperdiça esta excelência com gente que não tem o menor preparo para reconhece-lo, você simplesmente está jogando fora um talento que Deus lhe deu. Vale a velha expressão de que “está jogando milho aos porcos”. Isso acontece no mundo do conhecimento, no mundo político, e até nas amizades mais próximas a você.

A coisa mais inútil que um profissional de alto nível pode fazer é tentar conquistar a atenção e a admiração de pessoas medíocres. Isso pode ser perfeitamente ilustrado em um experimento feito nos Estados Unidos. Onde um violonista chamado Joshua Abel, tocou durante mais de 40 minutos no metrô de Nova York usando um violino de última geração chamado Stradvarius, tentando chamar a atenção da população.

Este violino é vendido na Suíça por mais de TRÊS MILHÕES de dólares, por causa da perfeição do som que produz e por ser um instrumento utilizado apenas em grandes orquestras pelo mundo.

Neste “evento” o violinista tocou desde músicas populares norte americanas, como Beatles, Rolling Stones e outros sucessos consagrados, até sinfonias de Mozart e Bettoven, com a mais alta perfeição.

Durante esta apresentação, QUATRO pessoas pararam DUAS pessoas aplaudiram, e no final da apresentação ele arrecadou 20 DÓLARES.

Naquela mesma noite ele tocou o mesmo repertório, claro, acrescido de outras músicas do cenário mundial, se apresentou com maestria mais uma vez em um dos lugares mais reconhecidos e mais famosos do mundo e foi simplesmente APLAUDIDO DE PÉ, por uma plateia que pagou entre 1500 a 4 mil dólares pelo ingresso e foi simplesmente aplaudido de pé por todos os presentes.

Essa experiência nos mostra que mesmo um talento extraordinário como o de Joshua, se estiver sendo exibido no lugar errado, ele simplesmente não brilha.

Isso acontece com profissionais de todas as áreas. Quem quer de fato se dar bem na carreira, deve se certificar que o sucesso acontece de fato, se este profissional se conscientizar que está dando o seu melhor no lugar certo e para as pessoas certas.

As colunas que escrevo, por mais capricho e carinho que eu empregue, acolhe TODOS os níveis de pessoas e obtém os mais diversos comentários. Alguns, extremamente inteligente e outros nem tanto. São dezenas de milhares de leitores que participam, mas que muitas vezes não sabem interpretar o fato em si. Longe de estar me comparando ao extraordinário Joshua Abel. Recebo algumas críticas que são completamente descabidas, assim como elogios que só uma mãe faz aos seus filhos. Quando ficar sabendo de algo que aconteceu de ruim, não culpe o mensageiro. Culpe a origem dos fatos. Mas leia. Só assim você pode opinar de maneira coerente.

Até a próxima semana.

As opiniões contidas nesta coluna não refletem necessariamente a opinião do portal Balcão News.

Qual é a sua reação ao ler esse conteúdo?

like
1
dislike
0
love
1
funny
0
angry
0
sad
0
wow
1
José Francisco Resende - Advogado, Mestre e Doutor em Comunicação Social. Foi superintendente da Lar Imóveis, pós graduando em pericia criminal e investigação forense, foi coordenador de Marketing da Federação do Comércio, Bens e Serviços – Fecomércio MG, coordenador nacional de marketing da Pharlab – Indústria Farmacêutica e CEO da Multicom do Brasil, empresa de Comunicação de âmbito nacional. Foi consultor do Grupo Balcão e especialista de comunicação. Palestrante do SEBRAE MG. Leia sua coluna toda sexta-feira no Balcão News!