Gastronomia Estrada Real - Comidas Juninas

Coluna Estrada Real

Gastronomia Estrada Real - Comidas Juninas
Istockphoto

A gente ama essa época do ano, tem como não amar? É uma das épocas mais gostosas e divertidas do ano, marcada pelas danças, brincadeiras, doces e comidas deliciosas.

A festa junina, de origem europeia, foi se tornando uma celebração multicultural no Brasil. Se, na Europa, as fogueiras juninas marcavam rituais que celebravam o solstício ou a chegada do verão, no Nordeste do Brasil, se agradecia às chuvas enviadas por São Pedro em regiões áridas para as lavouras.

Em junho é comemorada a época de ótimo período de colheita e fartura, e é quando também acontece a colheita do milho, que é a base para grande parte dos quitutes juninos.

As comidas típicas das festas juninas são uma das principais atrações desses eventos, atraindo milhares de pessoas em busca do gostinho do interior. São canjicas, caldos, cocadas, paçocas, quindins e maçãs do amor que fazem a felicidade de qualquer um.

Para curtir esse clima junino, preparamos uma lista de comidas e bebidas típicas que não podem faltar de jeito nenhum no seu arraial.

Começaremos mandando o frio embora com as bebidas que são indispensáveis nestas celebrações: o quentão e vinho quente!

QUENTÃO

Bebida quente típica dos arraiais, feita de cachaça, gengibre, cravo e canela.

O quentão, segundo os historiadores, nasceu no sudeste, mais precisamente em Minas e São Paulo, tendo sua origem no ciclo da cana-de-açúcar. No início, a bebida era feita com especiarias adicionadas a cachaça e foi criada para aquecer o corpo durante as festividades comemorativas dos três santos de junho: Santo Antônio, São João e São Pedro.

VINHO QUENTE

Com a popularização do quentão, foram surgindo variações. O vinho quente é uma delas. Essa adaptação chegou ao Brasil em meados do século XX com a imigração europeia, feita com vinho tinto e especiarias.

MILHO

O milho é um ingrediente tão delicioso quanto coringa. É praticamente impossível pensar em algum prato de festa junina que não leve o alimento em sua receita. Itens com milho, como canjica, milho cozido, pipoca, bolo de milho ou fubá, curau, cuscuz, polenta e pamonha, são servidos durante os festejos e estão entre os preferidos.

AMENDOIM

Puro, torrado, doce ou salgado, o amendoim nunca deve faltar em uma típica festa junina. Ela é base para guloseimas como a paçoca, feita com farinha de mandioca e açúcar, e prestigiado pé de moleque. Além disso, outros pratos, como a canjica, levam o amendoim para incrementar o sabor.

CALDOS

Caldo de feijão, caldo de mandioca, caldo verde, caldo de galinha, caldo caipira, são alguns clássicos para espantar o frio dessa época. O mais típico em Minas Gerais é o caldinho de feijão. Ele vem sempre com muito bacon, linguiça calabresa, cebolinha e um caldo bem cremoso de feijão carioca. Na hora de servir, é comum adicionar um pouco de torresmo pururuca.

MAÇA DO AMOR

Tradicional nas festas juninas, a maçã mergulhada em calda de açúcar, com um cabo de palito de picolé, dá origem à Maçã do Amor e faz sucesso entre os casais, principalmente no Dia dos Namorados.

Deu água na boca né? Então, bora entrar no clima e aproveitar para se fartar com essas delícias e viver intensamente esse período dos festejos juninos.

Segue a listagem da festança na Estrada Real:

Santo Antônio

  • Santo Antônio de Roças Grande (Sabará)
  • Rio Acima
  • Glaura (Distrito de Ouro Preto)
  • Santa Bárbara
  • Ouro Branco
  • Lagoa Dourada
  • Tiradentes
  • Diamantina
  • Alvorada de Minas
  • Cristiano Otoni
  • Ewbank da Câmara
  • Juiz de Fora

São João Batista

  • Ingaí
  • Barão de Cocais
  • Seritinga

São Pedro

  • Pequeri

É muita riqueza cultural presente em cada festa espalhada pela Estrada Real! Estrada Real: Uma estrada, seu destino!