Imersão na História da Arte - Parte VI

História, Curiosidades, Reflexões - Coluna Meg E.

Imersão na História da Arte - Parte VI
Mona Lisa, pintura de Leonardo da Vinci, 1506.

O Renascimento, Renascença ou Renascentismo foi um movimento cultural, político e econômico que surgiu na Itália no século XIV e se estendeu até o século XVII abrangendo toda a Europa, reformulando a vida medieval e dando início à Idade Moderna. O termo teve origem por trazer renovação nas áreas de filosofia, economia, política, cultura e artes. Caracterizava-se pelo humanismo, antropocentrismo, individualismo, universalismo, racionalismo e cientificismo com valorização da Antiguidade Clássica. Seus pensadores queriam sobretudo conhecer, aprender e reaver os preceitos da cultura clássica, deixando importantes conceitos que influenciaram o mundo ocidental. Eram transformações muito diferentes daquelas que dominaram a Idade Média. Florença foi colocada por Giorgio Vasari como a protagonista de todas as inovações. O Humanismo, que coloca o homem como centro de tudo, foi visto como o principal valor cultivado.

As primeiras manifestações artísticas surgiram com Giotto di Bondoni (1266-1337) através de obras que representavam a figura humana.

A grande contribuição da arte renascentista foi a descoberta da perspectiva e da profundidade, com evolução da pintura, escultura, arquitetura e literatura

Principais Artistas e suas Obras:

Leonardo da Vinci (1452-1519) – Mona Lisa, A Última Ceia, A Virgem das Rochas, Homem Vitruviano

Michelangelo (1475-1564) considerado o “Gigante do Renascimento – David, Pietá, Moisés, Teto da Capela Sistina com destaque para a pintura A Criação de Adão

Donatello di Niccoló (1368-1466) – David, Gattamelata, São Marcos, Tabernáculo de São Jorge

Sandro Boticcelli (14445-1510) – O Nascimento de Vênus, Adoração dos Reis Magos, Primavera e Virgem com o Menino, São João Batista Criança

Rafael Sanzio (1483-1520) – Madonas, O Casamento da Virgem

Masaccio (1401-1428) – Sagrada Trindade, A Natividade, Tríptico de San Giovenale, Expulsão do Paraíso, O Pagamento do Tributo

Filippo Brunelleschi (1377-1446) – Domo da Catedral de Santa Maria del Fiore, Hospital dos Inocentes, Palácio Pitti, Capela Pazzi

Tintoretto (1518-1594) – Marte e Vênus surpreendidos por Vulcano, O Milagre de São Marcos, A Última Ceia, São Jorge lutando contra o Dragão

Paolo Veronese (1529-1588) – As Bodas de Caná, A Batalha de Lepanto, O Sacrifício de Isaac, Adoração pelos Magos

Andrea Mantegna (1431-1506) – Quarto dos Esposos, Lamentação sobre Cristo Morto, Judite e Holofernes, A Circuncisão de Jesus

Fra Angelico (1387-1455) – O Juízo Final, Adoração dos Reis Magos, A Anunciação, A Coroação da Virgem

Donato Bramante (1444-1514) – Cristo na Coluna, Homem de Armas

Dante Alighieri (1265-1321) um dos primeiros e maiores escritores da língua italiana – A Divina Comédia, Sobre a Eloquência Vernácula, Vida Nova e Monarquia

Francesco Petrarca (1304-1374) considerado o “Fundador do Humanismo Renascentista”  e criador da forma fixa literária, os sonetos – Cancioneiro e o Triunfo, Meu Livro Secreto, Itinerário para a Terra Santa, Remédio para os Trancos e Barrancos

Giovanni Boccaccio (1313-1375) – Decameron, Mulheres Famosas, Rima e Visão Amorosa

Nicolau Maquiavel (1469-1527) considerado o “Pai do Pensamento Político Moderno”- O Príncipe, Artistas do Renascimento, Humanismo Renascentista, Renascimento Cultural, Fases do Renascimento

Reflexões

  • A arte renascentista surgiu em oposição às artes medievais, colocando o homem e a natureza como o centro das principais obras renascentistas;
  • A representação das emoções do ser humano traz à tona a necessidade de expor um movimento mais humanista, menos caótico e mais profundo;
  • Destaque do volume do corpo, áreas iluminadas e sombras, uso da tinta à óleo, contrastes entre claro e escuro trazendo ao expectador um olhar inquisidor, uma forte sensação de realidade e mistério, expressando a grandeza humana em sua proporção e racionalidade;
  • “A arte é coisa mental” coloca Da Vinci num pensamento coeso com suas atividades e postura sobre Arte e Ciência, elaborando e criando as suas obras como resultado de uma reflexão da mente e não um simples esforço repetitivo;
  • O homem se situa num panorama de privilégio e destaque, num momento em que as mudanças retratavam uma mistura de curiosidade intelectual e espírito analítico, onde o artista se aproxima da ciência e da filosofia ao mesmo tempo, produzindo obras literárias, ensaios sobre arquitetura e arte, redefinindo uma nova abordagem de criação.

Curiosidades

  • Leonardo da Vinci não era apenas um bom pintor, mas um excelente inventor. Entre seus projetos constam modelos de máquinas parecidas com os helicópteros, as bicicletas e canhões modernos;
  • O maior escritor renascentista foi Shakespeare;
  • Uma nova concepção humanista mudou a visão da beleza, da sexualidade do corpo, a redescoberta do nu. As mulheres ganharam uma nova imagem, apagada até então pelo conservadorismo da Idade Média ou a idade das “trevas” que negavam seu aspecto e as deixavam relegadas ao descaso. Surgiu um novo modelo, com mulheres roliças, de seios e ancas fartas. O uso do espartilho modelava a cintura e realçava os seios, em vestidos longos e volumosos;
  • A higiene nesse período mostrava que o importante era a brancura da roupa, usada até ficar suja e o uso dos pós e perfumes substituía a água, da qual tinham receio. As mãos eram lavadas de 3 em 3 dias, o rosto lavado com vinagre ou clara de ovo para deixar a pele aveludada. Os dentes eram escovados com cinzas, urina ou a própria saliva. Para combater o odor nas axilas, encharcavam a pele com trociscos de rosas (medicamento composto de substâncias secas reduzidas a pó, em formas de pastilhas);
  • O uso de cosméticos e maquiagem era excessivo, principalmente o pó de arroz, que naquele momento tornou-se uma condição necessária de limpeza;
  • Descobriu-se o álcool, extratos e óleos que substituíam a higiene, que não era feita cotidianamente;
  • As mulheres preocupadas com os padrões de beleza usavam durante o dia o “alvaiade”, uma mistura feita de giz, pasta de vinagre e clara de ovos. À noite, usavam emplastros de vitelo cru molhado no leite para amenizar os efeitos do alvaiade;

O que renasceu nesse período áureo e glorioso foi a cultura urbana, o amplo comércio, a arte e a cultura em todas as suas modalidades, tendo a Itália como berço do Renascimento, de onde surgiram grandes pintores e escultores.

Um período de grande excitação artística e cultural.

Desejo que possa ter contribuído com uma leitura simples, agradável e de fácil interpretação.

Se encantar pela arte e seus caminhos é uma experiência única, avassaladora. Conhecer sua história, viver um pouco de cada época abre nossa mente e nosso coração.

Eu sinto uma alegria enorme poder me entreter com tantos conceitos, tantos fatos e isso me insere um pouco dentro das mentes criativas e reveladoras que deixaram seu legado e nos permitiram desfrutar do passado, desvendar os mistérios e saborear as marcas de seus sucessos.

Ah...como podemos ser protagonistas da estória? Como no filme “Meia noite em Paris” do impagável Woody Allen, mergulhar no passado e encontrar aqueles que fizeram a história. Intelectuais e artistas, escritores e literatos consagrados, pintores magistrais.

Me sinto satisfeita, com o presente e com a vida!!!