Mais de 90% dos pequenos negócios de Minas Gerais aceitam Pix

Adesão é maior entre os mais jovens, até 30 anos (97%), e entre as mulheres negras (97%)

Mais de 90% dos pequenos negócios de Minas Gerais aceitam Pix
Divulgação

Nove em cada 10 pequenos negócios de Minas Gerais aceitam pagamentos via Pix. Mais de 80% dos que aderiram avaliam que ter incluído a nova modalidade de pagamento foi muito bom (58%) ou bom (25%) para os negócios. É o que mostra um levantamento realizado pelo Sebrae Minas entre os dias 9 e 21 de outubro, com 1.257 empreendedores.

Entre os que aderiram ao Pix, apenas 7% identificaram alguma desvantagem, como o aumento de custo ou impostos (45%) ou dificuldade de realizar o controle financeiro (30%). "Chama a atenção o fato de a adesão ser maior entre os empreendedores com até 40 anos de idade. A taxa dos que aceitam Pix até 30 anos, por exemplo, é de 97%. Entre 30 e 40 anos, a taxa é um pouco menor, de 96%", comenta Felipe Brandão, gerente de Inteligência Empresarial do Sebrae Minas.

Quanto mais avança a idade dos empreendedores, a taxa de adesão cai. Para os que têm mais de 41 anos, o percentual de adeptos ao Pix é de 93%. E esta taxa cai para 90% entre os que têm 51 anos ou mais. "É comum que os mais jovens saiam na frente na implementação do Pix nos negócios, até pela maior facilidade que em geral têm para entender e lidar com as novidades tecnológicas", comenta Brandão.

O estudo também mostra que as mulheres (95%) estão com uma ligeira vantagem sobre os homens (93%) na adoção do Pix. Entre elas, a adesão foi maior entre as negras (97%) em relação às brancas (93%). O levantamento indica ainda que a inovação é mais utilizada entre os empreendedores com Ensino Superior incompleto (97%) e Ensino Fundamental Completo (96%).

Em geral, empreendimentos de todos os setores apresentam alta taxa de adesão ao Pix, mas a maior incidência de pequenos negócios que aceitam esta modalidade de pagamentos está no Comércio (97%), seguido pela Indústria (96%), Construção Civil (95%) e Serviços (91%).

Consumidores querem pagar on-line

Um levantamento anterior realizado pelo Sebrae Minas, entre os dias 4 e 17 de setembro, com 1,6 mil empreendedores do estado, mostrou que 83% dos empresários identificaram novas necessidades de seus clientes desde o surgimento da pandemia.

As principais demandas, apontadas por 49% dos entrevistados, estavam relacionadas a novas formas de pagamento. Quatro em cada 10 empreendedores ouvidos pelo Sebrae afirmaram ter ampliado as alternativas de pagamento on-line ao longo dos últimos meses para atender esse anseio dos clientes.

Fonte: Sebrae Minas