Mídia putrefata

Walter Nery critica a imprensa brasileira em sua coluna Papo Reto

Mídia putrefata
Reprodução

Diz-se daquilo que sofreu putrefação. Que é podre em decomposição. Fétido, mal cheiroso, corrompido, escória, torto, feio, escroto, deteriorado, etc.

Nenhum outro adjetivo poderia resumir melhor o que se tornou a imprensa brasileira.

Depois que a outrora poderosa Globo, ou “Rede Esgoto de Televisão”, como queiram, começou a insana guerra midiática para tentar derrubar o presidente da República, com ataques diários, mentiras, narrativas falaciosas, e o terrorismo exacerbado e macabro com a COVID, agora foi a vez da Revista IstoÉ destilar seu veneno e ódio contra Bolsonaro.

Na última sexta-feira, após revelar a capa de sua nova edição, a revista causou enorme repulsa nas redes sociais, demonstrando toda sua estupidez e ignorância, comparando o PR ao nazista Adolf Hitler.

A imagem traz Bolsonaro com corte de cabelo similar ao adotado por Hitler, e o mesmo tipo de bigode usado pelo nazista, mas formado pela palavra genocida.

A decrépita e insidiosa revista ainda chamou o presidente brasileiro de “mercador da morte”, e na capa também faz críticas aos apoiadores de Bolsonaro, definidos como uma seita negacionista e obscurantista.

A publicação, além de alimentar uma imagem distorcida do Brasil para o mundo, insistindo que o presidente eleito democraticamente é ditador, fascista e genocida, alimenta ainda mais o ódio entre a população, que não tolera mais quem publica essas asneiras e idiotices.

Uma revista, que um dia já foi respeitada, não pode chegar a esse nível degradante, vil, reles, ordinário. Uma absoluta falta de moral e ética, minimamente necessários para se ter qualquer credibilidade num órgão de imprensa nacional. Vergonha de título, de reportagem, de trabalho gráfico para uma capa revoltante e abominável.

E ainda achavam que estavam dando um “furo” de reportagem em sua edição, trazendo informações sobre o relatório final da CPI DA CANALHICE, cujo relator, Senador Renan Calheiros, precisou rever a leitura de suas sandices de mais de 1000 páginas, marcada para essa semana, alertado que foi pelas absurdidades e inconsistências de seu texto.

Como se não bastassem as trapalhadas e humilhações ao longo da CPI, o parlamentar alagoano também já foi informado que ficará ainda mais ridicularizado perante a opinião pública, que não se engana mais com seu mau-caratismo e torpeza.

A publicação da IstoÉ escancara o desespero e o sofrimento de uma mídia agonizante, que não consegue mais faturar, após “mamar” no dinheiro público anos a fio, protegida pela esquerda psicopata de governos anteriores.

Curiosamente, para essa gentalha a liberdade de expressão está intacta, afinal essa garantia só vale para quem atentar contra a honra e a dignidade do presidente da República, não é STF?

O jornalismo brasileiro está claramente desvirtuado, definhando a olhos vistos, impregnado pela militância política, que também chegou a diversos outros setores da sociedade.

As atuais faculdades de jornalismo no país, com seus professores militantes esquerdistas, são os maiores responsáveis por essa doutrinação obtusa, degenerada, decadente.

São esses mesmos “profissionais” que defendem a linguagem de gênero no país, não-binária, absolutamente incorreta e destrutiva da nossa língua pátria. Nomes como Alexandre Garcia, Augusto Nunes, J.R.Guzzo e outros, são cada vez mais raros na imprensa brasileira.

Não existe mais senso crítico entre a maioria dos profissionais de comunicação. A nova geração de jornalistas brasileiros, forjada na militância política descarada de universidades tomadas pela esquerda, tem como ídolos Paulo Freire, Lenin, Che Guevara e outros comunistas miseráveis da história.

Protegem descaradamente corruptos e bandidos, tentando de todas as formas mantê-los no cenário político brasileiro. Os ataques levianos ao presidente Bolsonaro não tem outro objetivo. Querem o “nove dedos” de volta, para a desgraça geral da nação.

A grande mídia, sentindo falta da corrupção e do dinheiro público entre seus patrocinadores, está prestando um grande desserviço aos brasileiros, tentando afastar um governante que tirou o país das trevas, após anos da ameaça socialista verificada nos governos petistas.

O verdadeiro jornalismo, aquele que faz oposição, mas que mostra pontos de discordância e aponta possíveis soluções, não existe mais. O que vemos todos os dias é uma imprensa brasileira podre, em adiantado estado de putrefação!

As opiniões contidas nesta coluna não refletem necessariamente a opinião do portal Balcão News.