“Não podemos ter eleições sob o manto da suspeição”, diz Bolsonaro

Em cerimônia do Dia do Exército, presidente da República saudou participação dos militares no processo eleitoral

“Não podemos ter eleições sob o manto da suspeição”, diz Bolsonaro
Michael Melo/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse, nesta terça-feira (19/4), que o país não pode ter eleições sobre as quais paire “o manto da suspeição”. A declaração, dada em solenidade alusiva ao Dia do Exército, realizada em Brasília (DF), foi proferida enquanto o mandatário falava sobre o pleito.

“Todos sabem, prezado deputado Arthur Lira, prezado senador Rodrigo Pacheco, que a alma da democracia repousa na tranquilidade e na transparência do sistema eleitoral, sistema esse que deve ser cada vez mais zelado por todos nós. E quem dá o norte para nós são as urnas, que ali fazem surgir não só o presidente da República, bem como a composição do nosso Parlamento brasileiro”, começou Bolsonaro.

“Não podemos jamais ter eleições no Brasil que sobre elas paire o manto da suspeição. E esse compromisso é de todos nós, presidentes dos Poderes, comandantes de forças, aqui, obviamente, direcionado ao trabalho do senhor ministro da Defesa. Todos nós somos importantes, todos nós somos agentes desse processo. E eu tenho certeza que as eleições do corrente ano seguirão o seu ritmo normal”, prosseguiu.

Bolsonaro ainda saudou o ministro Luís Roberto Barroso, ex-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a quem frequentemente critica, pelo convite às Forças Armadas para participar do pleito.

“Eu quero cumprimentar aqui o ministro Luís Barroso, que enquanto presidente do Tribunal Superior Eleitoral, convidou as Forças Armadas. Repito: convidou as Forças Armadas a participar de todo o processo eleitoral. O que o povo quer é paz, tranquilidade, é trabalho, é poder viver em harmonia e trabalhar para que o seu país, de verdade, seja uma grande nação.”

“O papel das Forças Armadas todos conhecem, não só nos momentos difíceis no tocante à esfera política, bem como em outros momentos também elas sempre estiveram presentes”, continuou Bolsonaro. Na sequência, ele disse ter orgulho de ter integrado os quadros militares por 15 anos.

Ao final, ele disse que o povo brasileiro tudo fará para garantir a liberdade e para que todos joguem “dentro das quatro linhas da Constituição”.

Fonte: Metrópoles.