No domínio da força

O Honda Civic Si é uma visão moerna de um esportivo “à moda antiga”, para quem gosta de acelerar forte e de se sentir no controle do “powertrain”

No domínio da força
No domínio da força
No domínio da força
No domínio da força
No domínio da força
No domínio da força
No domínio da força

São várias as razões que fazem uma pessoa optar por um automóvel. Há quem priorize o conforto e a segurança. Outros buscam um símbolo de “status” sobre rodas, para impressionar os amigos e a vizinhança. Muitos idealizam modelos de aspecto aventureiro, que os façam se sentir capazes de transpor quaisquer eventuais obstáculos. Mas há também quem procure apenas diversão. Para esses consumidores que valorizam o prazer de dirigir acima de tudo, a Honda trouxe para o Brasil, em julho de 2019, o renovado Civic Si, que chega importado da América do Norte – o motor é feito nos Estados Unidos e o carro, no Canadá. Em sua atual geração, apresentada no Estados Unidos em 2019, além de discretas mudanças no design, o cupê de duas portas ganhou aprimoramentos mecânicos e incorporou itens de conforto e conveniência. Segundo a Honda, a proposta é oferecer um comportamento dinâmico esportivo, reforçado pela singular sensação de controle proporcionada pela transmissão manual – um prazer que, para os mais “puristas”, se perde com os câmbios automáticos.

Por fora, o Si tem dimensões muito próximas às do Civic sedã fabricado no Brasil – o cupê é 12 centímetros mais curto e um centímetro mais baixo que a versão EXL, com a mesma largura e distância de entre-eixos do modelo intermediário de quatro portas. A dianteira é agressiva com sua ampla grade preta, largas tomadas de ar no para-choque e faróis full-led. Os de neblina também são em leds, com acabamento em preto brilhante. As rodas de liga leve de 18 polegadas, exclusivas da versão, têm acabamento em preto fosco e o teto solar reforça o estilo requintado. Porém, é na traseira que o Si ostenta o que se costuma chamar de “assinatura de design”. O harmonioso conjunto formado pelo aerofólio e a barra de leds horizontal que atravessa a traseira conectando as lanternas em forma de “C” é elegantemente arrematado pelo amplo escapamento central cromado em formato poligonal. As pequenas letras “Si” – sigla para Sport Injected – surgem em vermelho na tampa do porta-malas.

A sigla Si deixa claro qual é a inegável atração do cupê da Honda. O motor 1.5 turbo de quatro cilindros a gasolina com injeção direta de combustível e duplo comando de válvulas variáveis no cabeçote é o mesmo adotado nas versões Touring do sedã Civic e dos utilitários esportivos HR-V e do CR-V, porém com configurações específicas de potência e torque. Com intercooler frontal e um turbo de maiores dimensões, entrega potência máxima de 208 cavalos a 5.700 rpm – superando os 173 cavalos da versão Touring do Civic. O robusto torque de 26,5 kgfm – são 22,4 kgfm na Touring – aparece a 2.100 rpm e é mantido em 70% da faixa de rotação do propulsor. Outro destaque do Si para os admiradores da esportividade é a transmissão manual de 6 velocidades. De acordo com a Honda, o câmbio atual proporciona uma sensação de aceleração ainda mais aprimorada, com engates curtos e precisos.

Para manter a tradição de se destacar no aspecto dinâmico, o cupê incorporou em sua atual geração itens como assistência elétrica adaptativa na direção de duplo pinhão com relação variável, amortecedores adaptativos e diferencial com deslizamento limitado. Os freios são de 12,3 polegadas na dianteira com largos pneus 235/40 R18. Em complemento aos amortecedores adaptativos, a suspensão tem molas mais firmes e barras estabilizadoras mais rígidas, além de braços de controle ultra rígidos atrás. Tudo isso, conforme a fabricante, para oferecer uma experiência de condução na qual o motorista pode perceber o “feedback” do piso para explorar os limites do Si com mais segurança. Por meio da tecla Sport, localizada no console central, o motorista seleciona entre dois ajustes de rodagem, que alteram parâmetros de suspensão, acelerador e assistência de direção.

Dentro das boas tradições da Honda, a segurança é valorizada no Civic Si. Lá estão o sistema ABS, com distribuição eletrônica de frenagem, o VSA (controle de tração e estabilidade), o HSA (assistente de partida em aclives) e o AHA – Agile Handling Assist, que aprimora a estabilidade em curvas. O modelo traz ainda seis airbags, câmera de ré multivisão e o sistema LaneWatch, composto por uma câmera instalada no retrovisor direito que, quando a seta é acionada, projeta a imagem aumentada no sistema multimídia para eliminar os pontos cegos.

O Civic Si é comercializado no Brasil em três opções de cores – White Orquide Pearl (a do modelo testado), Crystal Black Pearl e Rallye Red. Tem três anos de garantia sem limite de quilometragem e preço sugerido de R$ 184.900 – exatos R$ 38,4 mil acima dos R$ 146.500 da configuração Touring, a “top” do sedã. Diversão é bom e todo mundo gosta, mas tem um preço – que, no caso de um automóvel, costuma não ser barato. Contudo, o público-alvo do Si é formado justamente por pessoas que acham que não se deve economizar com o próprio prazer.

Experiência a bordo

Evidências generalizadas

Os detalhes no interior do Civic Si evocam esportividade. A ergonomia dos bancos tipo concha e o volante de boa empunhadura fazem com que o motorista praticamente “vista” o carro. Para mover o cupê, basta acionar o pedal de freio e pressionar o botão Start para dar partida. O painel exibe elementos em vermelho, mesma tonalidade adotada nas novas faixas centrais dos bancos em formato de concha, com logotipos da versão bordados no encosto. A estética é replicada nas costuras vermelhas dos bancos, das laterais de portas, da manopla e da coifa do câmbio. Também valorizam o interior o quadro de instrumentos em TFT com iluminação vermelha, os pedais em alumínio e o acabamento do painel em Dry Metal Carbon.

O cupê da Honda traz sistema de recarga de celulares sem fio, por indução, posicionado no console central. O freio de estacionamento é eletrônico e o ar-condicionado digital tem duas zonas. Em termos de conectividade, o Si traz um sistema multimídia de 7 polegadas, sensível ao toque, integrado ao Apple CarPlay e ao Android Auto, com uma conexão fácil de smartphones ao automóvel. O sistema de áudio premium de 450 watts tem dez alto-falantes. Como é inerente aos cupês de duas portas, o acesso ao banco traseiro não é dos mais fáceis.

Impressões ao dirigir

O belo é a fera

O Civic Si é um automóvel surpreendente. Oferece dois modos de condução que, na prática, transformam o cupê em dois modelos distintos. No modo “Comfort”, os amortecedores operam de forma mais suave, a assistência da direção é aprimorada e o acelerador opera de forma menos direta, para oferecer uma condução mais suave. Desse modo, embora os 208 cavalos e os 26,5 kgfm continuem disponíveis, o Si assume um jeito mais discreto e comportado, quase como um sedã médio comum.

Já com a tecla “Sport” acionada, os amortecedores trabalham com mais carga, enquanto a resposta do acelerador fica bem mais direta e a direção, por sua vez, tem a sua assistência reduzida para tornar a conexão com o motorista mais intensa. O giro sobe rápido e reforça a sensação de agilidade. Para instigar ainda mais o motorista, no modo “Sport”, o Si ativa o Active Sound Control, que usa o poderoso sistema de áudio do cupê para amplificar o som do motor e proporcionar uma experiência sensorial mais imersiva. Quando o motorista pisa forte no acelerador, o barulho grave do motor aparece de forma arrebatadora – é difícil resistir à vontade de pisar fundo e deixar o “powertrain” ostentar acusticamente seu vigor.

Qualquer que seja o modo de direção adotado, o Si traz as qualidades desejáveis em um esportivo, como boa visibilidade, direção precisa e freios de alta performance. A experiência de dirigir é aprimorada pela alavanca de câmbio com engates precisos e pela embreagem hidráulica com acionamento macio. Afinal, no Civic Si, boa parte do “appeal” está na sensação de controle proporcionada pelo câmbio. Para ajudar o Si a respeitar os indefectíveis limites de velocidade, o piloto automático (Cruise Control) permite ajustar a velocidade desejada para o carro manter a aceleração necessária automaticamente. Um recurso tecnológico de assistência ao motorista que é bem efetivo, mas quase contraditório em um carro no qual a graça é exercer plenamente o comando.

Ficha Técnica

Honda Civic Si

Motor: 1.5 L DOHC, gasolina, 1.498 cm³, transversal, quatro cilindros, quatro válvulas por cilindro, turbocompressor, duplo comando de válvulas variáveis no cabeçote e injeção direta de combustível. Tração dianteira.

Diâmetro e curso: 73 mm x 89,5 mm

Taxa de compressão 10,3 :1

Potência: 208 cavalos a 5.700 rpm

Torque: 26,5 kgfm de 2.100 a 5 mil rpm

Câmbio: manual de 6 marchas

Suspensão: dianteira independente tipo MacPherson com amortecedores adaptativos e traseira independente do tipo multibraços com amortecedores adaptativos

Direção: elétrica com pinhão duplo e relação variável

Freios: dianteiros com disco ventilado e traseiros com disco sólido

Dimensões: 4,52 metros de comprimento, 1,80 metro de largura, 1,42 metro de altura e 2,70 metros de entre-eixos

Porta-malas: 334 litros

Tanque de combustível: 46,9 litros

Peso: 1.321 quilos

Preço: R$ 184.900

por Luiz Humberto Monteiro Pereira

AutoMotrix