Novo vereador da Câmara é uma das frentes que tenta o diálogo com a PBH pela reabertura do comércio

Ciro Pereira (PTB) comemorou efeito positivo da manifestação de ontem. Prefeitura marca reuniões com representantes do comércio da capital para esta semana.

Novo vereador da Câmara é uma das frentes que tenta o diálogo com a PBH pela reabertura do comércio
Reprodução - Gabinete Ciro Pereira

Após uma segunda-feira (11) bastante movimentada na porta da Prefeitura de Belo Horizonte, com manifestações contrárias ao decreto assinado pelo prefeito Alexandre Kalil, fechando todo os serviços considerados não essenciais da capital para conter o avanço da Covid-19, o dia seguinte teve novidades em relação ao diálogo com vários setores do comércio, até então inexistentes segundo os protestantes.

O vereador Ciro Pereira (PTB), que está em seu primeiro mandato na Câmara Municipal, discursou na manhã de ontem na Avenida Afonso Pensa e declarou o seu apoio aos comerciantes e donos de academia, deixando claro que usará sua voz para maiores diálogos com os governantes. Hoje, em suas redes sociais, ele comemorou que o ato deu resultado, e que o secretário de Planejamento, André Reis, se reunirá com várias entidades para conversar.

O Balcão News entrou em contato com o vereador que deixou claro seu posicionamento e sua luta ao lado dos prejudicados pelo fechamento, “como vereador posso fazer uma requisição de uma indicação ao prefeito, um trâmite interno, que posso utilizar pedindo que o ele revogue este decreto, pois hoje o comércio é 72% do PIB da nossa cidade, ou seja, o comércio não pode parar. Eles estão pagando uma fatura que não é deles”, declarou Ciro Pereira.

Defensor da liberdade econômica, o vereador se mostra otimista em uma resolução benéfica para todos de BH, “vamos continuar nessa batalha, claro que respeitando os protocolos de distanciamento e higienização, assegurando que vidas não podem ser perdidas. A economia e a saúde podem caminhar juntas e de maneira segura, principalmente neste momento, mas precisamos dialogar mais com o prefeito de BH, e que ele esteja disposto a escutar mais a Câmara Municipal e os representantes envolvidos de todas essas áreas para chegarmos a um denominador comum”.