O “Threenager”, a adolescência nos três anos

Coluna Paternidade Consciente - Guto D'Assumpção

O “Threenager”, a adolescência nos três anos
Reprodução Internet

O período do desenvolvimento infantil que se inicia a partir dos 3 anos é maravilhoso, mas também bem complicado. Já falei um pouco sobre isso anteriormente, mas queria falar um pouco mais por fazer parte do meu dia a dia hoje. Fato é, se acharam a fase do “terrible two” (como já disse, prefiro o termo “wonderful two”), se preparem para esse período conhecido como adolescência dos bebês, ou “Threenager”. Nesta fase elas parecem pequenos adolescentes cheios de vontades, e também são naturalmente curiosos e exploradores, sabendo muito bem expressar suas vontades, tendo resposta para tudo na ponta da língua. A Sofia mesmo, para toda situação de negativa, já tem um “respeita minha vontade”, “combinado” ou “porque não, não é resposta” engatilhado. Eles querem se impor, só que agora possuem mais recursos e vocabulário mais vasto. O diálogo é uma ferramenta primordial nesta fase, pois precisamos entender e respeitar seus direitos e vontades. Devemos mostrar a elas que, apesar de entendermos e respeitarmos os seus sentimentos e vontades, existem regras e limites que devem ser respeitados, havendo atitudes e comportamentos que não são tolerados.

Olha, não é fácil mesmo não. É também muito comum que elas tenham algumas explosões em reações emocionais, que podem parecer exageradas para nós, mas que ocorrem por ainda não possuírem maturidade para lidar com as frustrações. Muitas vezes, pequenas coisas acabam gerando essa reação explosiva, como o suco colocado no copo errado. Algo que ocorre muito nesta fase é a verdadeira novela para realizar algumas atividades. Para almoçar tem que estar cercados de toda a turma de pelúcia, o quarto vira uma bagunça de roupas e brinquedos para todo lado. A Sofia agora demora uma eternidade para se arrumar para a escola, onde tira e coloca 3 roupas diferentes antes de se decidir, inventa de prender o cabelo de um jeito e depois de outro, e por aí vai. Até mesmo para entrar no carro eles dão um jeito de complicar...rsrsrs. Devemos ter muita calma e compreensão, é um período de desenvolvimento muito acelerado, onde a autonomia para realizar tarefas está aflorada, e que deve ser muito incentivada, cabendo a nós adultos a função de controlar essas situações. Permitir que eles ajudem em atividades leves, como lavar alimentos, ajudar a misturar algo e a guardar brinquedos é de extrema importância nesta fase. Incentivar esta autonomia significa conscientiza-la a respeito da rotina da casa, com a vida, bem como com o mundo que a cerca. Sendo assim, não deixe de incentivar seu tempo de aprendizado e suas iniciativas.

As opiniões contidas nesta coluna não refletem necessariamente a opinião do portal Balcão News.

Qual é a sua reação ao ler esse conteúdo?

like
2
dislike
0
love
3
funny
1
angry
0
sad
0
wow
1
Guto D'Assumpção é pai da Sofia, para quem dedico todo o meu amor. Estar presente no dia a dia, com amor, carinho, empatia e dedicação, é o caminho para ajudar nossos filhos a trilharem o caminho do bem. Mostrar a ela que todos podemos ser e alcançar o que quereremos, com humanidade, amor e igualdade. Consultor e empresário. Leia sua coluna toda terça-feira no Balcão News!