Os filhos crescem, e nós crescemos como pais

Coluna Paternidade Consciente - Guto D'Assumpção

Os filhos crescem, e nós crescemos como pais

O tempo passa muito rápido, e não vemos o quão rápido nossos filhos crescem. Até ontem minha filha estava saindo da maternidade, começava a engatinhar, falava papai pela primeira vez, e hoje está na escola. São 3 anos e meio que parecem poucos dias. Apesar de toda a nostalgia que vem ao relembrar todos esses momentos, o mais importante é o orgulho e satisfação que sinto ao ver a pessoa que ela vem se tornando. Tenho certeza que é assim com a maioria dos pais, independentemente da idade de seus filhos. E com o crescimento dos pequenos nós também vamos crescendo como pais, nos tornando pessoas melhores, e adquirindo a enorme capacidade de nos multiplicar para dar conta deles. Adquirimos habilidades que antes nos pareciam complicadíssimas, como dar banho e trocar fraldas. Certamente crescemos muito como pessoas. Fora que passamos realmente a ter um pedaço nosso fora do nosso corpo, que sofre quando adoecem, que fica aflito quando acontece algo, que morre de saudades quando não estão por perto. E é assustador saber que muito em breve serão adultos, e terão que enfrentar, por si só, as intemperes do mundo. Há um pedaço de um poema de Amanda Urias, “Poema sobre filhos que crescem rápido demais”, que pede que o tempo desacelere:

“Por favor, tempo, desacelere. Tão pequeno e já tão dono de si. Pronto para desbravar um mundo que vai além de mim! Me perdoe filho, não estou pronta para te ver partir… sinto falta de quando eu era tudo que você precisava para ser feliz.

Você vai crescer, é inevitável, é saudável…Mas eu queria reviver, dia após dia, os seus sorrisos inocentes, as suas conquistas, os seus primeiros beijos e abraços. Queria eternizar esse momento e viver assim, juntinho de ti. Estás pronto para desbravar o mundo, conquistar novos amigos, encantar outras vidas… eu me sinto orgulhosa e ao mesmo tempo perdida, porque já sinto o vazio da nossa diária despedida.

Seja gentil, tempo. Desacelere. O tempo não perdoa. Não espera. Eu ainda te vejo frágil, indefeso, meu pequeno. Mas você já descobriu que lá fora existe um mundo cheio de aventuras esperando por ti. Existe um mundo que vai além dos meus braços, dos meus abraços, dos meus beijinhos, do olhar sempre atento a te proteger…eu não estou pronta, mas você está. Filho, eu estou com medo de te ver partir… Tempo, seja gentil: desacelere”.

A verdade é que lidar com o crescimento dos filhos não é fácil, e não há nada que freie o tempo. Por isso só há uma coisa que podemos fazer, aproveitar ao máximo cada segundo de suas vidas, pois certamente teremos muita saudade desse tempo que passou.