Os mesmos erros

Os mesmos erros
Bruno Haddad/Cruzeiro


Olá, Nação Azul

Como muito bem escrito pelo meu amigo Leonardo Valadares na última coluna, a vitória sobre o Brusque nos últimos minutos deu ao Cruzeiro a esperança de que dias melhores se avizinhavam pelos lados da Toca da Raposa. 
Porém, ao que parece, o prelúdio da esperança acabou ficando mesmo no sonho do Cruzeirense. Nos dois jogos dentro de casa tivemos um duro choque de realidade, posto que somamos míseros dois pontos contra Vitória e Sampaio Corrêa.

E sim, os tropeços tem muito a ver com as decisões equivocadas tomadas pelo treinador Vanderlei Luxemburgo. Na partida contra o Vitória, por exemplo, a decisão de começar com a mesma escalação que iniciou contra o Brusque foi notoriamente um erro.

Rafael Sóbis possui lugar cativo no time e não tem rendido nem no ataque e muito menos na criação, Ramón e Eduardo Brock são os dois piores zagueiros do elenco e formam a dupla titular, além de Rômulo que parece ter esquecido o seu futebol na Itália.

Ainda temos somado pontos graças a jogadores como Giovanni Piccolomo, Bruno José e Marcelo Moreno, que ao que parecem assimilaram o espírito da Série B e tem ajudado o Cruzeiro a não ter uma campanha ainda pior que o pífio 16º lugar ocupado atualmente.

A próxima partida é contra o Náutico, outrora líder invicto e agora ladeira abaixo. Para um eventual triunfo basta ao treinador escalar as melhores peças, o que não vem acontecendo.

LEIA TAMBÉM:

Braciola suína glaçada em geléia de damasco com musseline de pequi

Lagunitas – A IPA que conquistou o Brasil

Você é americano, atleticano ou cruzeirense?

A boçalidade da velha política de Kalil

Passo a passo de como manter uma boa postura para dirigir

Coluna Alma Alvinegra: Um Galo encardido no caminho dos adversários

O papel das forças armadas numa democracia representativa

A leitura e seus benefícios para o desenvolvimento infantil

Efeitos da Covid-19 na relação entre clube, torcida e dinheiro