PBH no vermelho? Tragédia anunciada

Vereador Ciro Pereira estreia sua coluna no Balcão News.

PBH no vermelho? Tragédia anunciada
Flickr/CMBH
redutea
banner redutea
banner redutea


Belo Horizonte pode terminar o ano no vermelho, ou seja, em déficit orçamentário. Quem emitiu o alerta foi Bruno Pacelli, subsecretário de orçamento da PBH, em uma audiência com vereadores no início da semana. Os dados apontam que as despesas cresceram 6,45% em relação ao mesmo período no ano passado. Deve-se considerar, porém, que a receita também aumentou em 2,95%. A situação só não está pior porque em 2020 as contas do Executivo fecharam o ano em superávit (receita maior que despesa) de cerca de R$390 milhões. Mas, a tendência é piorar, visto que a arrecadação tributária é maior no início do ano, com previsão de queda ao longo do ano.

Só no primeiro quadrimestre, a prefeitura gastou 23% do total previsto no orçamento para todo o ano de 2021. Em contrapartida, a arrecadação de impostos foi de R$ 2,034 bilhões, 14% maior do que no ano passado. Pacelli justifica com uma série de motivos: queda de repasses da União, distribuição de auxílios alimentação para famílias vulneráveis e também o aporte para sustentar a despesa de enfrentamento à pandemia na saúde.

É inadmissível que esse prejuízo recaia sobre o trabalhador belo-horizontino. A cidade passou meses fechada, nossos comércios impedidos de funcionar, nossas crianças sem frequentar a escola. Até nossos templos religiosos passaram por restrições. As contas, porém, nunca pararam de chegar. Mesmo enfrentando dificuldades financeiras, os contribuintes tiveram que arcar com altas cobranças de impostos.

Desde o início da pandemia, a frase que mais se ouviu foi “precisamos salvar vidas agora, a economia resolvemos depois”. O “depois” já está batendo à porta. Cada morte por covid é lamentável e deve ser evitada com todos os recursos que estão ao nosso alcance. Contudo, o equilíbrio é fundamental. Não podemos sacrificar empregos, muito menos o sustento das pessoas, que também é um aspecto fundamental da sobrevivência. A prefeitura deve economizar em propaganda, cujos gastos beiram a casa dos 20 milhões, e em qualquer outro gasto desnecessário do orçamento. A responsabilidade de administrar o dinheiro público é do Executivo e não dos cidadãos. Assim como suas consequências, sejam boas ou ruins.

As opiniões contidas nesta coluna não refletem necessariamente a opinião do portal Balcão News.

LEIA TAMBÉM:

Os desafios da paternidade

Blazer cropped, uma tendência que chega para ganhar seu coração

Para rir (ou chorar), andando pelas ruas

7 Dicas para manter a saúde da sua coluna

Balanço parcial da CPI da COVID - O Caldeirão do Vírus

Imóvel ou fundo imobiliário? Como investir nesse mercado?

5 dicas para manter a saúde e perder peso

Um prato com a cara de Minas: Paella Mineira