Pesquisa revela estatísticas do universo dos sugar daddies

De acordo com o levantamento, 32% usam a renda para bancar os estudos

Pesquisa revela estatísticas do universo dos sugar daddies
Crédito: Reprodução/ Internet
A mesada faz parte do acordo entre sugar babies e sugar daddies - protagonistas do estilo de relacionamento "Sugar". Pesquisa realizada pelo site Universo Sugar, com 1.020 participantes, revela para onde vai o patrocínio recebido de seus ‘patronos’. Conforme consulta da rede social, os gastos vão desde academias a cirurgias plásticas. No entanto, a maioria das mulheres entrevistadas alega utilizar o montante para pagar o ensino superior e cursos profissionalizantes.
 
De acordo com o levantamento, 32% usam a renda para bancar os estudos. E segundo a rede social, o pagamento de aluguéis, com (25%) das respostas, é o segundo principal destino do dinheiro das sugar babies, seguido de gastos com procedimentos estéticos (21%), como prótese de silicone e bichectomia, intervenções mais citadas no levantamento. Logo após, surgem os artigos de luxo com (14%), entre joias, bolsas e sapatos de grife.
A plataforma revela que o valor médio pago para as sugar babies é de R$ 3.000,00, sendo que esses valores variam de R$ 500,00 a R$ 5,000. O que depende muito dos lugares em que os casais estão localizados.
 
Com mais 1,2 milhão de inscritas na condição de ‘Sugar Baby’, a rede social de sugar daddies, divulgou um levantamento realizado com 1020 participantes do sexo feminino, que mostra para onde vai o patrocínio recebido de seus ‘mecenas’. A ‘verba’ se divide Entre De acordo com a pesquisa, 38% usam para subsidiar o ensino superior ou profissionalizantes são usadas pela maior parte das participantes. Em seguida despesas de aluguel. Já (8) utilizam a mesada do Sugar Daddy para custos com academia.
 
O universo desta pesquisa abrange participantes do site de Universo Sugar dos municípios de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis, Manaus, Belém, Porto Velho e Distrito Federal, Goiânia e Campo Grande. Para a realização deste levantamento foi utilizado uma amostra de 1.020 participantes. O trabalho de levantamento dos dados foi feito através de entrevistas pelo WhatsApp entre os dias 24 a 28 de agosto de 2020.