Pulgas e carrapatos: a importância de prevenir parasitas no frio

A prevenção contra a ação dos parasitas deve seguir ao longo do período para manter os cães protegidos

Pulgas e carrapatos: a importância de prevenir parasitas no frio


Já é de praxe: no verão, as altas temperaturas fazem com que pulgas e carrapatos se proliferem nos cães e gatos. Afinal, elas facilitam a reprodução desses parasitas no pelo dos animais. Contudo, a prevenção durante baixas temperaturas também é imprescindível para manter o pet e o ambiente livres desses bichinhos indesejados.

Mesmo que não seja o momento mais propício para a reprodução dos ectoparasitas , um descuido nessa época do ano pode ser responsável por reinfestações severas ou até mesmo abrir portas para a contaminação dos pets com uma série de doenças graves. Além do incômodo e da coceira que as picadas de pulgas e carrapatos promovem, ambos podem transmitir doenças muito relevantes para os pets.

“As pulgas estão relacionadas aos casos comuns de dermatite alérgica e podem ser responsáveis pela infestação de vermes como o Dypilidium caninum. Já os carrapatos, além da irritação intensa de pele promovida por suas picadas, são os vetores responsáveis por doenças sérias, como a Babesiose e Erliquiose”, afirma a médica-veterinária e gerente da Unidade de Pets da Ceva Saúde Animal, Fernanda Ambrosino.

Além de estarem presentes na pele e pelos dos animais, esses parasitas utilizam o ambiente como parte importante do seu ciclo de vida. Eles usufruem de frestas e fendas em paredes, rodapés, rejuntes, tapetes, caminhas, sofás e grama para se reproduzirem e crescer. Por isso, o controle destes parasitas deve ser feito de forma sistemática e constante.“A melhor maneira de combater esses parasitas é investir no chamado controle integrado, que engloba uma série de medidas para o tratamento simultâneo do animal e do ambiente. Dessa forma será possível eliminar as pulgas e carrapatos em todas as suas fases da vida”, detalha Fernanda.

Mesmo no inverno, é importante manter o uso de produtos ectoparasiticidas de forma mensal, ou de acordo com indicação em bula, pois esses fármacos ajudam a prevenir e eliminar pulgas e carrapatos que estejam em contato com a pele e os pelos dos pets. É importante também combater as infestações no ambiente com produtos específicos de controle antiparasitário. Neste caso, segundo a expert, produtos à base de piretrinas e piretróides tem ação letal imediata nas pulgas e carrapatos adultos, ao mesmo tempo em que inibem o desenvolvimento das formas imaturas presentes no ambiente.

“Sempre que possível, e principalmente após passeios em parques, praças ou calçadas bem arborizadas, faça uma “vistoria” no cãozinho, focando nas orelhas, região de axila e entre os dedos para evitar que qualquer pulga ou carrapato intruso infeste seu pet ou o ambiente que ele vive”, explica Fernanda. Para manter os animais protegidos contra a ação dos ectoparasitas a prevenção é indispensável.

“Prevenir é sempre a melhor opção. Por isso, reforço que os tutores devem manter os pets protegidos e existem diversos produtos no mercado para auxiliar nessa missão”, finaliza Fernanda.

Este post apareceu em Metrópoles

LEIA TAMBÉM:

Comprei um produto pela internet e desisti. Quem paga o frete de retorno?

Westvleteren – A Pérola Trapista Virou Presente de Aniversário

Coluna Alma Alvinegra: A sorte agora é atleticana

A dor de uma eliminação e a esperança de que estamos no caminho

Voto Impresso: o que está em jogo?

Voto auditável: Seja feita a vontade popular

Os primeiros passos, #QueroVerMeParar

Coluna Squadra Celeste: A mesma praça, o mesmo banco

Deliciosa Pimenta Recheada e Crocante do Chef Carlos Pita