Sofre de crises de ansiedade? Ataques de pânico? Entenda como o exercício pode te ajudar.

Coluna Dr. Alberto Rafael Jr.

Sofre de crises de ansiedade? Ataques de pânico? Entenda como o exercício pode te ajudar.

Crise de ansiedade ou ataque de pânico é o momento em que os sintomas da ansiedade se manifestam de forma abrupta e intensa. Assim, são caracterizados principalmente por taquicardia, respiração irregular, medo e tremores no corpo. 

Na maioria das vezes, quem sofre de crise de ansiedade já possui um histórico de ansiedade generalizada ou síndrome do pânico, resultando no descontrole das emoções e da respiração diante de alguma situação de estresse ou traumática.

É comum se sentir ansioso em diversas situações cotidianas, como na expectativa para algum encontro, na preparação de um trabalho importante ou no recebimento de alguma notícia. Entretanto, quando isso se torna frequente ao ponto de dificultar tarefas diárias, a ansiedade deixa de ser uma característica para se tornar um transtorno.

Quando essas sensações dominam a mente e gatilhos específicos são ativados, podem gerar a crise de ansiedade, ataque de ansiedade ou ataque de pânico. Então, essa crise é caracterizada por uma profunda sensação de insegurança, medo e descontrole.

É como um curto-circuito gerado no corpo e na mente, provocando uma descarga de noradrenalina e adrenalina pelo organismo. Essas substâncias são responsáveis, junto com outros processos, pelas manifestações físicas da crise, que duram poucos minutos em alta intensidade.

No momento em que esse alerta é gerado, alguns sintomas mais comuns podem ser percebidos. Entre eles, estão:
- Palpitação, coração pulsando forte ou acelerado;
- Sensação de garganta fechada;
- Suor;
- Tremores;
- Falta de ar;
- Sensação de desmaio;
- Náusea ou desconforto abdominal;
- Formigamentos;
- Dor ou desconforto no peito;
- Calafrios e sensação de calor;
- Sentimentos de irrealidade;
- Sensação de afogamento ou sufocação;
- Despersonalização (sentir-se fora de si mesmo);
- Medo de perder o controle ou enlouquecer;
- Medo de morrer.

Os ataques de pânico ou crises de ansiedades podem acontecer devido à uma situação específica de estresse ou momentos traumáticos. Ou seja, estando em um local muito movimentado, um espaço fechado, em um meio de transporte, em pontes ou alturas elevadas.

Passar por uma crise não é nada fácil e pode ser extremamente amedrontador. Para quem passa por ataques constantes ou convive com pessoas que têm episódios de crise, é fundamental conhecer formas de aliviar os sintomas e acalmar o paciente até que ela se dissipe.

Quando uma crise de ansiedade se instala o que se pode fazer é fechar os olhos e tentar respirar fundo e lentamente durante alguns minutos, até que os batimentos cardíacos e a respiração acalmem e normalizem. 

Algumas estratégias que podemos utilizar:

- Respirar lentamente, inspirando pelo nariz e expirando pela boca;
- Beber um chá calmante, como chá de camomila, valeriana ou tília.
- Exprimir as emoções, ou seja, gritar e/ou chorar caso se tenha vontade, ou apenas conversar com alguém de confiança, para liberar as emoções;
- Descansar e "desligar" a mente, evitando estímulos como ficar mexendo no celular ou assistindo televisão;
- Fazer uma atividade física que se goste, pois ajuda a esquecer da situação que está causando ansiedade, além de aumentar a produção de neurotransmissores que ajudam a promover a sensação de bem estar e relaxamento;

Praticar atividades físicas ajuda no combate à ansiedade, uma vez que leva o organismo a liberar substâncias responsáveis por sensações de alegria e bem-estar.
Além de trazer benefícios ao sistema circulatório, a prática de exercícios aumenta a produção e a liberação de neurotransmissores como a endorfina, serotonina e a noradrenalina.

Quando liberadas na circulação, essas substâncias agem diretamente no sistema nervoso central, gerando sensação de bem-estar, aliviando a depressão e normalizando os níveis de ansiedade.

O sedentarismo traz pioras tanto no aspecto biológico quanto psicológico do corpo. Uma pessoa sedentária pode sofrer aumento em seu nível de estresse, baixa motivação, desregulação emocional e mental. Para ter uma vida saudável o corpo precisa equilibrar momentos de movimento, em que o cérebro está ativo e a capacidade cardiorrespiratória é exigida, e de descanso, quando os músculos se regeneram e a mente organiza as ideias para novos projetos.

Lembre-se sempre: nosso corpo é uma máquina, se deixamos parada começa a enferrujar.