Spaten Munich – Tradição Alemã para acirrar Mercado Cervejeiro

A coluna Mais um Lúpulo está de volta apresentando a novidade do mercado nacional

Spaten Munich – Tradição Alemã para acirrar Mercado Cervejeiro

Olha quem voltou!!! Boa sexta para todas as Lupuladas e Lupulados... Depois de umas merecidas férias, nossa coluna está de volta. E para movimentar o dia, vamos falar da grande aposta do ano da Ambev, para por fogo no mercado das cervejas mainstream no Brasil. Trata-se da Spaten Munich, uma das principais cervejas puro malte do mundo, nascida em Munich, em 1397 e que carrega até hoje a tradição da Lei de Pureza da Baviera.
Depois da coluna que falamos do lançamento da cerveja Tiger (relembre clicando aqui), membro do portfólio da cervejaria Heineken, várias pessoas me procuraram para perguntar sobre a cerveja Spaten, novidade do mercado também. Então vamos conhecer um pouquinho mais sobre ela.

Todas cervejas da família Lager (relembre clicando aqui) devem de certa forma um pouco a está cervejaria, uma vez que sua fundação data de 1397, pouco tempo depois da possível primeira referência ao método de fabricação de cerveja de baixa fermentação. A fábrica de cerveja Spaten é a mais antiga de Munique e com grandes inovações, chegou a ser uma das maiores da Alemanha.

A Spaten também foi uma das primeiras a exportar os seus produtos para o mercado externo e hoje é comercializada em todo mundo. Do estilo Munich Helles, chega com a intenção de promover uma experiência diferente para o público brasileiro. Ao paladar leigo, ela pode e deve se confundir com estilos populares, como as Pilsners (ou Pilsen, como são conhecidas no Brasil) e as American Premium Lager (Heineken e Stella, por exemplo). O estilo surgiu principalmente para competir com as cervejas de origem checa e alemã do estilo Pilsner. Um exemplo é a Becks, cerveja do estilo German Pilsner, também da Ambev. As cervejas Helles tendem a ser um pouco mais secas, quando comparadas com as Pilsner’s.

Na minha avaliação, a Spaten surge como uma cerveja com aparência amarelo ouro e com corpo mais leve. Sua espuma de cor branca apresenta uma formação consistente e duradoura. No aroma médio, o malte remete a pão e cereais, tradicionais da família Lager. Apresenta também uma lupulagem média, com notas herbais e florais. No sabor o malte está presente de forma suave. Não há como negar que é uma cerveja com um bom equilíbrio, dentro de suas limitações do estilo. Uma cerveja refrescante e que oferece um bom drinkability para os padrões brasileiros.

Se eu fosse fazer uma divisão de prateleiras da briga de mercado entre Ambev x Heineken, considerando apenas as cervejas puro malte, colocaria no primeiro pelotão a Heineken “tradicional” contra a Becks e num segundo grupo a novata Tiger e Amstel, numa disputa direta com a Spaten e a Brahma Duplo Malte. Se você quiser conhecer essa novidade, ela está disponível, segundo a Ambev, em garrafas de 355ml e 600ml, além da lata sleek (nova febre) de 350ml. Você consegue comprar no facilmente já no Empório da Cerveja, Zé Delivery e supermercados e bares de Belo Horizonte.

As opiniões contidas nesta coluna não refletem necessariamente a opinião do portal Balcão News.