Suzane von Richthofen: três histórias da menina que matou os pais

Após quase 20 anos do crime, o delito e os bastidores instigam reportagens, livros e o cinema até hoje

Suzane von Richthofen: três histórias da menina que matou os pais
Divulgação

Suzane von Richthofen tomou o noticiário brasileiro após participar de um crime brutal contra os próprios pais, em 2002. O namorado, Daniel Cravinhos, e o cunhado, Cristian Cravinhos, na época, assassinaram a pauladas o casal Marísia e Manfred Richthofen, enquanto eles dormiam, na casa da família, em São Paulo. Jovem, rica e de aparência dócil, ela tinha 18 anos quando o fato ocorreu. 

O julgamento do caso ocorreu em 2006, cuja sentença condenou Suzane e Daniel Cravinhos a 39 anos e 6 meses de prisão. Já Cristian, recebeu uma pena de 38 anos e 6 meses. Após quase 20 anos terem se passado, o delito e os bastidores instigam reportagens, livros e o cinema até hoje.

No último dia 24 de setembro, por exemplo, os filmes “A Menina Que Matou os Pais” e “O Menino Que Matou Meus Pais” chegaram ao Amazon Prime Vídeo. Cada produção apresenta um ponto de vista diferente, baseado nas versões passadas pelos envolvidos sobre o crime. A atriz Carla Diaz interpreta Suzane, enquanto Leonardo Bittencourt vive Daniel. 

  • A Menina Que Matou os Pais: mostra uma Suzane ingênua, que foi influenciada pelo namorado interesseiro e possessivo.
  • O Menino Que Matou Meus Pais: retrata a história contada por Daniel, que teria sido convencido a cometer o crime pela namorada manipuladora.

Confira três obras para os amantes literários entenderem melhor o caso. Confira!

Casos de Família: Arquivos Richthofen e Arquivos Nardoni: Abra os arquivos policiais, por Illana Casoy – Editora Darkside

Em “Arquivos Richthofen”, de Ilana Casoy, o leitor acompanhará o comportamento dos três assassinos. Isso inclui as contradições e os erros decisivos. Porém, a grande novidade é a transcrição inédita do emblemático debate entre acusação e defesa, com o objetivo de oferecer os detalhes do julgamento nunca publicados.

Suzane Assassina e Manipuladora, por Ullisses Campbell – Editora Matrix

O livro esquadrinha o caminho trilhado por Suzane von Richthofen desde que foi presa pela primeira vez até o momento em que começou a sair da prisão. Para detalhar a vida dela, o repórter Ullisses Campbell fez dezenas de entrevistas e mergulhou nos emaranhados universos do Direito Penal e da Psicologia Forense. 

Richthofen. O Assassinato dos Pais de Suzane, por Roger Franchini – Editora Planeta

Roger Franchini revela de forma inédita os bastidores da investigação policial. Além disso, inclui as suspeitas, as evidências, os responsáveis pelo inquérito e os chocantes depoimentos de Suzane Richthofen e dos irmãos Cravinhos. 

O post Suzane von Richthofen: três histórias da menina que matou os pais apareceu em Metrópoles.