Telecomunicações lideram ranking de reclamações no Procon Assembleia

Órgão faz alerta também sobre crescimento de golpes financeiros contra idosos

Telecomunicações lideram ranking de reclamações no Procon Assembleia

Das 643 reclamações registradas no Procon da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) no primeiro semestre de 2022, quase 10% foram contra o segmento de telefonia celular. O chamado “combo”, que é o pacote de TV por assinatura, telefonia e internet, aparece em segundo lugar, com 7,7% das queixas. Há mais de dez anos que o setor de telecomunicações lidera as reclamações protocoladas no órgão de defesa do consumidor.

O terceiro e o quarto lugar no ranking são ocupados por assuntos financeiros: os empréstimos nas modalidades pessoal e consignado foram responsáveis por 7,3% das reclamações, enquanto que os cartões de crédito responderam por 6,8% das queixas. A tabela abaixo mostra os cinco setores que mais geraram litígio entre consumidores e fornecedores no primeiro semestre de 2022:

Assunto

Reclamações

Percentual

Telefonia celular

63

9,5%

Combo

50

7,7%

Empréstimo consignado e pessoal

47

7,3%

Cartão de crédito (incluindo acordos)

44

6,8%

Agências de turismo/pacotes

43

6,7%

Golpes – Outra preocupação do Procon Assembleia é com o aumento do número de cidadãos que têm comparecido ao órgão para denunciar golpes financeiros dos quais são vítimas. O Procon não tem o número exato de reclamações porque muitas vezes os consumidores são encaminhados diretamente à Delegacia de Polícia de Defesa do Consumidor. Mas nos primeiros 180 dias do ano foram dezenas de denúncias, nas quais as vítimas são majoritariamente pessoas aposentadas.

Nesse sentido, o coordenador do Procon Assembleia, Marcelo Barbosa, faz um alerta aos familiares: “Fiquem atentos às ligações telefônicas recebidas pelos idosos em sua família. Golpistas têm se passado por funcionários de instituições financeiras ou lojas para extraírem informações sigilosas das vítimas e, assim, provocarem desfalques em suas contas bancárias”. O alerta vale também para as mensagens recebidas via celular por SMS ou aplicativos de conversa.