Verão exige cuidados com os olhos

Os problemas mais frequentes nesse período envolvem o uso incorreto de lentes de contato, a Síndrome do Olho Seco e o aparecimento de doenças infecciosas, como a conjuntivite.

Verão exige cuidados com os olhos
Freepik

A estação mais aguardada do ano, o Verão, exige atenção com a saúde dos olhos. Calor, vento, poluição, excesso de partículas no ar, ventilador e ar condicionado são fatores que tendem a gerar desconforto nessa região do rosto.

O Verão é uma época um pouco diferente se comparada às demais. Os problemas mais frequentes nesse período envolvem o uso incorreto de lentes de contato, a Síndrome do Olho Seco e o aparecimento de doenças infecciosas, como a conjuntivite, principalmente em locais de maior circulação de pessoas, como praia, piscina e praças. Além de outras hipersensibilidades, como a maior exposição aos raios Ultra Violeta (UV).

Tudo isso preocupa e demanda certos cuidados para cada caso. Com o uso intenso de ventiladores e de aparelhos de condicionado, por exemplo, são maiores as chances do surgimento da Síndrome do Olho Seco. Hoje em dia, algo muito disseminado em função da frequência das pessoas em frente às telas de computadores e celulares. O Olho Seco exige, na maioria dos casos, colírios lubrificantes, embora, nos últimos cinco anos tenham surgido novos tratamentos para que os pacientes não fiquem tão dependentes das gotas.

Usuários de lentes de contato gelatinosas precisam ter cuidado redobrado nessa temporada. As lentes necessitam da nossa lágrima para funcionar bem. Há bactérias que aderem às lentes de contato e eventualmente podem gerar uma infecção. A dica é evitar abrir os olhos embaixo d´água, optar por tipos de descarte diário que geram mais segurança e, mesmo cansado, não dormir com a lente. E cuidar com o armazenamento correto no estojo, com o máximo possível de esterilização.

Tempo também de ficar alerta para sintomas como olhos irritados, sensação de areia e fotofobia em decorrência da exposição exagerada ao sol. A água do mar e da piscina podem provocar irritação. Por isso, nada melhor que lavar as mãos com mais frequência, evitando a aplicação de protetor solar perto dos olhos, em especial no caso das crianças. O excesso tende a escorrer para as pálpebras, gerando ardor e desconforto.

Se os óculos escuros causam incômodo, é preciso ter certeza da procedência e da certificação, bem como saber se fornecem proteção Ultra Violeta adequada. Há óticas que fazem o teste da luz, do grau de proteção oferecido pelo produto a ser utilizado. Nossa pupila funciona como uma barreira de proteção. Óculos escuros de má qualidade apenas escurecem, mas não filtram o UV o que tende a causar problemas na retina.

Enfim, com os cuidados essenciais, aliados aos cuidados com nosso corpo e com nossa saúde mental, é perfeitamente possível aproveitar os dias de calor.

(Dr. Leonardo Gontijo, diretor clínico do Instituto de Olhos Minas Gerais, oftalmologista especialista em córnea e cirurgia refrativa, professor de Oftalmologia da Santa Casa de Belo Horizonte)