Minas Gerais tem o menor índice de crimes violentos dos últimos nove anos

Forças de Segurança do Estado fazem balanço das ações implementadas em 2020

Minas Gerais tem o menor índice de crimes violentos dos últimos nove anos
Fábio Marchetto

Em um ano marcado pela pandemia, Minas Gerais encerrou com recorde na redução da criminalidade pelo segundo ano consecutivo. De janeiro a novembro, houve queda de 33,3% nos crimes violentos, o melhor resultado em criminalidade dos últimos nove anos. Esse percentual representa a ocorrência de menos 21.194 mil crimes violentos em relação a 2019.

O indicador crimes violentos é o somatório dos seguintes crimes: homicídio tentado e consumado, extorsão mediante sequestro, sequestro e cárcere privado tentado e consumado, estupro tentado e consumado, estupro de vulnerável tentado e consumado, roubo tentado e consumado e extorsão tentada e consumada.

Os resultados foram apresentados pelo Secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, general Mario Araújo, e representantes das Forças de Segurança de Minas Gerais, durante entrevista à imprensa nesta quarta-feira (16/12), na Cidade Administrativa.

O único dos 15 crimes monitorados pelo Observatório de Segurança Pública da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) que permanece em vermelho é a extorsão tentada (+12,8%), delito no qual o bandido não teve êxito.

Os dados são resultado do trabalho integrado realizado por Sejusp, Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Penal, Sistema Socioeducativo e Política de Prevenção à Criminalidade.

“Queremos agradecer todos os profissionais de segurança que, assim como os da saúde, estiveram na linha de frente ao longo deste ano e durante toda a pandemia”, afirmou o secretário.

Destacando o trabalho das forças e as ações integradas realizadas ao longo de 2020, ele salientou que o ano foi de indicadores robustos, mas que a Segurança quer muito mais. “É preciso haver mais participação da sociedade, melhorar ainda mais a integração das forças de segurança e modernizar a nossa estrutura prisional. O resultado muito positivo deste ano difícil mostra o compromisso das forças de segurança com a integração das suas plataformas e das áreas de inteligência”, disse o general Mario Araújo.