O pré-natal masculino: a porta de entrada para a paternidade

O pré-natal masculino: a porta de entrada para a paternidade
redutea
banner redutea
banner redutea


O período pré-natal é de extrema importância para a gestação, e quanto a isso não há o que se discutir. Durante muito tempo o foco desse período sempre foi em torno da mulher, tanto em relação a sua saúde quanto na própria gestação. O planejamento que vinha dos órgãos de saúde e entidades particulares sempre tiveram foco direcionados às gestantes. O pai sempre foi uma espécie de satélite nesta fase, atuando mais como suporte, mas sem tanta inclusão em todo o processo. Entretanto muitos pais sentiam um desejo de participar mais, de forma ativa e afetiva deste período tão importante. De um tempo para cá o que se vê são pais mais empenhados, mais interessados em estudar e participar desta gestação. Esse movimento vem buscando estimular essa maior participação do homem no período gestacional, chamado de “pré-natal masculino”. Uma informação muito importante, e que muitos desconhecem, é que programas governamentais garantem ao homem o direito a esse pré natal, obtendo amparo legal e incentivo até mesmo para realizar exames pessoais. Com isso busca-se que este envolvimento traga amplo benefício, tanto no período gestacional quanto no puerperal, este último muito difícil para as mulheres.  Os pais, nessa nova mentalidade de imersão na paternidade, tem que se conscientizar desta necessidade em 3 pilares, desde o período pré natal: Disponibilidade (estar acessível ao seu filho), engajamento (participação efetiva no dia a dia deles) e responsabilidade (assumir a garantia dos cuidados).

Falando um pouco sobre a minha experiência como pai sempre fiz questão de participar de cada fase, cada acontecimento da gestação da Sofia. Dar o meu apoio, assumir responsabilidades, aliviava o lado da Dani (mãe da Sofia). Apesar de contratempos, comuns e inerentes ao período gestacional, o pré natal foi muito bem conduzido, com muita cumplicidade e apoio entre nós. Tenho certeza que todo o envolvimento emocional que tenho com ela hoje iniciou-se nesse período pré natal. A paixão por ser pai, o sonho de uma vida, me levaram a mergulhar nesse papel com muita vontade. Por isso sugiro que todos os pais se  envolvam, se entreguem, desde o período pré natal, pois ali iniciará a formação da sua relação com seu filho. Na próxima semana entraremos mais na fase pós parto, no auxílio ao puerpério feminino e ajuda nos cuidados dos bebês.

LEIA TAMBÉM:

A Taça das Taças: Conheça a Teku, Xodó do Cervejeiros

A evolução do 'Cucabol'

O segredo para evitar quedas na melhor idade

Quem são os genocidas?

Não é só o prefeito quem deve decidir onde investir em BH!

Alimentação pós-Covid-19

A Política do Fim dos Tempos

Paternidade consciente, uma nova mentalidade