Cuidados redobrados com a saúde dos olhos na pandemia

Dr. Leonardo Gontijo, diretor clínico do Instituto de Olhos Minas Gerais, oftalmologista especialista em córnea e cirurgia refrativa, professor da Santa Casa Belo Horizonte e do Instituto de Olhos Ciências Médicas (IOCM)

Cuidados redobrados com a saúde dos olhos na pandemia

Sabemos que a pandemia do novo coronavírus exige de todos nós uma atenção redobrada e os cuidados com a saúde ocular também não podem ser negligenciados. Quem já apresenta algum problema, como catarata, glaucoma, retinopatia diabética, miopia, astigmatismo, hipermetropia, ceratocone ou outro, deve manter suas consultas em dia. Mas ainda que você não tenha, aparentemente, nenhum sinal adverso, é indispensável visitar o oftalmologista ao menos uma vez ao ano. 

Além disso, vale lembrar que os olhos podem ser porta de entrada para a Covid-19. Por mais raro que sejam os casos, a lágrima e a conjuntivite podem ser uma forma de transmissão, embora a mais comum seja pelas vias aéreas – respiração, espirro, perdigoto e saliva. É bom ter em mente que qualquer secreção é um potencial meio de contágio do novo coronavírus, por isso as mãos devem ser higienizadas com água e sabão ou álcool em gel constantemente. 

Jamais leve as mãos aos olhos sem que estejam limpas, e jamais encoste em objetos ou superfícies após ter levado as mãos aos olhos, sem antes limpá-las. Essas condutas impedem o contágio do novo coronavírus, bem como o de outras diversas doenças oculares, como a conjuntivite por adenovírus que é extremamente infecciosa.

IOMG - Instituto de Olhos Minas Gerais

O mesmo se aplica ao usuário de lentes de contato cujas precauções devem ser mantidas: limpeza diária com produto antisséptico; ao dormir, deixar as lentes na solução de limpeza até o dia seguinte; trocá-las no período recomendado de acordo com a sua descrição. Com relação a quem usa óculos, o objeto acaba sendo uma barreira protetora, e deve ser higienizado com frequência com água e detergente. 

Outra relação feita com a Covid-19 refere-se à manifestação da conjuntivite. A Academia Americana de Oftalmologia divulgou que a conjuntivite é um dos sintomas de quem adquiriu a doença. Em meu consultório não atendi nenhum caso até o momento. Ressalto que é fundamental investigar e realizar exames, porque a conjuntivite virótica pode provocar a formação de gânglios – ínguas – onde a mandíbula encaixa na maxila, e apresentar algum sintoma gripal, como coriza, podendo ser confundida com o novo coronavírus. 

LEIA TAMBÉM:

Uma 'panelinha de cogumelos' para deixar o fim de semana mais gostoso

Cerveja Trapista: Aqui tem selo de qualidade!

Exercícios fisioterapêuticos para pacientes pós Covid-19

Alfaiataria: um clássico da moda feminina contemporânea, clássica, atemporal, e até mesmo despojada

Como se proteger em momentos de crise e incerteza

Febre nem sempre é infecção