Alimentação saudável, crianças saudáveis!

Alimentação saudável, crianças saudáveis!
Freepik


Algum tempo atrás falamos um pouco sobre a amamentação e a introdução alimentar, tão essenciais para o desenvolvimento dos Bebês. Acho muito importante falarmos agora sobre a alimentação no período posterior a essa introdução alimentar. A alimentação saudável é extremamente importante para o desenvolvimento e crescimento adequado das crianças, fornecendo a elas os nutrientes necessários para sua correta formação corporal e neurológica, além de protegê-las de uma série de doenças. Lembrando sempre que é muito importante a presença do leite materno na alimentação até os 2 anos, se possível.

No caso da Sofia, fizemos sua introdução alimentar usando o método BLW, que consiste em oferecer alimentos cortados em bastonetes. Esse método traz inúmeras vantagens para os bebês, sendo a preservação da autonomia dos pequenos a mais valiosa delas. Sempre prezamos a variedade no pratinho da Sofia, e que houvesse muita cor e texturas diferentes. O que dizer do amor que ela tem pelo Jiló? Enquanto tiver no prato ela não quer saber de outra coisa. E esse contato com toda variedade de legumes e verdura é importantíssimo, devendo ser oferecido em diferentes formatos e preparos, pois corta alguma rejeição que possa haver em relação a alguns deles. Outra questão que deve ser sempre colocada é que as refeições não podem ser uma guerra, então dar aos filhos autonomia e espaço para comer e experimentar é muito importante. Nessa fase o cuspir a comida que não gostou faz parte e deve ser respeitado, pois é a forma que eles têm de demonstrar a insatisfação com o alimento experimentado. Voltando a alimentação da Sofia, outra decisão importante que fizemos foi não oferecer a ela doces, balas, açúcar, chocolates, ao menos até seus 2 anos. Esse tipo de alimento não traz benefícios a saúde, e pode ter consequências futuras, como diabetes e obesidade infantil. Além dos doces e açucares, sempre evitamos dar a ela alimentos industrializados, processados ou embutidos, que são igualmente ruins para a alimentação e a saúde infantil.

A Sofia só foi experimentar chocolate após os 2 anos de idade, e mesmo assim procuramos oferecer a ela o 70% ou mais. Sabemos que não podemos evitar que eles experimentem ou comam, já que fatalmente acontecerá nas festinhas de amigos ou outras ocasiões, mas evitamos que seja algo que faça parte do dia a dia. Devemos lembrar sempre que somos um exemplo para nossos filhos, então a alimentação correta deles começa pelos próprios pais. Fato é que precisamos cuidar de nossas crianças, e começar pela alimentação é uma prioridade.

Na próxima semana falaremos um pouco sobre a autonomia da crianças e a importância para seu desenvolvimento.

LEIA TAMBÉM:

Expectativa do torcedor na volta da torcida a arquibancada

Coluna Squadra Celeste: Os mesmos erros

Braciola suína glaçada em geléia de damasco com musseline de pequi

Lagunitas – A IPA que conquistou o Brasil

Você é americano, atleticano ou cruzeirense?

A boçalidade da velha política de Kalil

Passo a passo de como manter uma boa postura para dirigir

Coluna Alma Alvinegra: Um Galo encardido no caminho dos adversários

O papel das forças armadas numa democracia representativa