Autonomia infantil é a chave para adultos independentes e criativos

Autonomia infantil é a chave para adultos independentes e criativos


A Autonomia é definida como “capacidade de tomar decisões não forçadas e baseadas em informações disponíveis”, sendo a infância um período muito importante para o seu desenvolvimento. Devemos estimular a autoconfiança e a independência desde os primeiros anos pois, além de ajudar no amadurecimento cognitivo, dá a criança a capacidade de entender melhor seu próprio desenvolvimento. Sabemos que temos uma linha tênue entre a liberdade e a proteção, mas aí entra o nosso papel de pais no desenvolvimento e amadurecimento dessas habilidades. A superproteção tira da criança a capacidade de se desenvolver e aprender de forma saudável o mundo ao seu redor, e acaba por formar indivíduos inseguros e dependentes. Dar aos pequenos autonomia não significa simplesmente deixa-los tomarem decisões sem qualquer critério, mas dar esta liberdade explicando a eles a importância e as consequências de tais decisões. Cabe a nós o papel de guiar nesta construção de seus próprios caminhos, dando suporte para o entendimento deles em relação a aquilo que ainda não são capazes de compreender, ensinando-os a fazer escolhas saudáveis e coerentes. Com a Sofia buscamos este caminho desde muito pequena quando, por exemplo, dávamos a ela a possibilidade de se alimentar sozinha com as próprias mãozinhas. Ela cresceu tendo este aumento gradativo de liberdades, onde sempre estimulamos sua autoconfiança, orientando e apoiando em suas decisões.

Outro aspecto importante neste processo é saber corrigi-los quando tomarem decisões erradas, pois a nossa interferência de forma negativa pode levar a desmotivação dos pequenos. Saber como mostrar a eles que tais decisões erradas têm consequências, além de ensiná-los e mantê-los motivados, pode aumentar ainda mais os laços de confiança com os pais. Muito importante guia-los nessa relação com as escolhas erradas e frustrações, procurando sempre ter um diálogo sincero, mostrando-os que os erros sempre servirão de aprendizado. Incentiva-los a explicitar os sentimentos nos ajudarão a entendê-los, e saber como lhe dar com eles é muito importante para o caminho do autoconhecimento. A Sofia tem autonomia para escolher a roupa que vai usar, em qual local quer ir brincar, mas segue a rotina diária que precisa ser seguida. Ela já entende, e sempre procuramos mostrar a ela, que suas escolhas têm consequências.

Outro exemplo, alguns dias atrás, ela quis ficar brincando mais tempo em casa, e deixamos claro que se demorasse não daria tempo de ir ao parquinho. Quando ela decidiu ir, já não dava mais tempo, então sentamos e a mostramos que foi a escolha dela. Ao criar regras ou normas de convivência peça a ajuda deles, pois eles têm mais empenho em seguir aquelas da qual participaram. A escola que ela vai frequentar, a partir do início do próximo ano, também foi escolhida respeitando toda essa linha de criação. Precisamos entender que a escola é primordial para o que acontece em nossa casa, assim sendo muito importante que tenham uma mesma essência filosófica. Quando criamos nossos filhos respeitando suas individualidades e sentimentos, dando a eles suporte e o espaço necessário para trabalhá-los, estamos criando pessoas mais preparadas e seguras para a vida adulta.

Na semana que vem falaremos um pouco do brincar e sua importância no desenvolvimento infantil.

LEIA TAMBÉM:

Super receita de suco detox e seus benefícios para a saúde

Coluna Squadra Celeste: Enfim, alvíssaras!

Bacalhau a Lagareiro, uma ótima opção para os amantes desse peixe

Copo Weizen - A Beleza de Uma Taça Campeã

4 mitos e verdades sobre a FISIOTERAPIA

Coluna Alma Alvinegra: Ser atleticano é bom demais

O golpe já foi dado - Precisamos reagir

Alimentação saudável, crianças saudáveis!

Expectativa do torcedor na volta da torcida a arquibancada