Que o Lúpulo lhe conserve

Que o Lúpulo lhe conserve


Sextou Lupulados e Lupuladas! E hoje nossa coluna é mais que especial... Afinal, vamos falar daquele ingrediente meio amargo, mas que tem capacidade de conservar como poucos, uma presença completamente marcante, que dá ao nosso líquido sagrado extrema personalidade e por fim, faz parte da identidade de nossa coluna. Sim, estamos falando dele: O Lúpulo!

Formalmente chamada de Humulus lupulus, mas para nós, íntimos, apenas “Lúpulo”, ela é uma planta trepadeira, isso quer dizer, cultivada verticalmente e que se desenvolve com maior facilidade nas regiões com climas mais frios, como a Europa e a América do Norte. Pode ser utilizada também como planta ornamental, em jardins nas regiões com clima favorável. Sua flor leva cerca de 3 anos para alcançar seu ponto ideal de uso, ou seja, quando suas propriedades atingem o máximo na formação de amargor e aromas propícios para a fabricação de cervejas. Uma curiosidade é que a planta fêmea que é a utilizada no processo cervejeiro.

Durante a fabricação da cerveja, e mais especificamente durante a fervura do mosto, o lúpulo é colocado e se torna responsável principalmente pelo amargor da cerveja. Mas sua função não é apenas contrapor o extremo dulçor do malte, mas também por ser um conservante natural. Inclusive os primeiros registros da sua utilização são do século XI, e o mais provável é que tenha feito por causa de suas propriedades conservantes e aromatizantes que interferir no sabor.

Nas cervejas mainstream, o lúpulo aparece muito mais para quebrar o sabor adocicado do malte e seu uso é bem comedido. Mas em cervejarias caseiras e artesanais, podemos perceber os mais diversos estilos de aromas e sabores provenientes desta querida planta. E ela pode ser aplicada no processo produtivo em forma de pellet (aqueles cilindros verdinhos pequenos) ou em flor (ao natural). 

Mas é importante saber que existe um lúpulo adequado para cada escola e estilo cervejeiro, dentre os mais diversos estilos produzidos no mundo. De uma maneira geral, os lúpulos dos estilos alemães apresentam características picantes e florais, como o Saphir, Hallertauer e Spalt. Os ingleses costumam ser mais terrosos, condimentados, com aromas mais fechados e destacam-se Target, Admiral e Fuggle. Já os americanos viraram os queridinhos do mercado por terem aromas mais intensos, com características frutadas, cítricas e florais. Nomes como Citra, Amarillo, Cascade e Centennial são vistos facilmente em diversos rótulos.

Confesso que muito da minha paixão cervejeira vem da descoberta do lúpulo e das cervejas com suas características acentuadas. Hoje sou um lupolunático e sempre vou recomendar as cervejas com características de lúpulos em destaque, carinhosamente chamadas de cervejas lupuladas. São principalmente a IPA e todas as suas variações como New Engand IPA, Black IPA, American IPA, Session IPA, também a APA e English Pale Ale.
Não é atoa que sempre recomendo e vou recomendar MAIS UM LÚPULO... E que o lúpulo lhe conserve! Cheers!

LEIA TAMBÉM:

Datena. Uma vergonha para todos nós

Quatro dicas infalíveis para melhorar a postura na hora de estudar

Coluna Alma Alvinegra: O atleticano em êxtase

Quando o combate à corrupção já não importa

O sono do bebê, a função do pai no processo

Squadra Celeste: A gota d’água

Arancini: o delicioso bolinho com as sobras do risoto