Julho Turquesa: campanha de prevenção da Síndrome do Olho Seco

Dr. Leonardo Gontijo - O problema está em esquecer-se de fazer algo bem simples: piscar!

Julho Turquesa: campanha de prevenção da Síndrome do Olho Seco
Portal da visão Curitiba


Em minha coluna de estreia, falei da relação entre o uso excessivo de telas e a Síndrome do Olho Seco, relembre clicando aqui. Mas é importante retomar o assunto, pois estamos no Julho Turquesa, campanha internacional de prevenção dessa condição que afeta cerca de 40 milhões de brasileiros.

É indiscutível que a vida moderna proporcionou mais conforto e facilidades em nosso dia a dia, graças à tecnologia, mas também aumentou a incidência da Disfunção Lacrimal, outra forma como a doença é designada.

Ficamos vidrados na frente das telas, assistindo ao streaming, a um canal no Youtube, interagindo pelo WhatsApp, realizando videoconferências, navegando pelo Instagram, Facebook, consumindo conteúdo quase que 24 horas por dia. O problema está em esquecer-se de fazer algo bem simples: piscar! Nossos olhos também precisam de uma pausa, de um “respiro”, ou seja, precisamos piscar mais.

Piscar menos acarreta na produção insuficiente de lágrimas. Entretanto, existem outros fatores que prejudicam a formação de lágrimas ou interferem na qualidade das lágrimas, que passam a evaporar rapidamente. São eles: menopausa, exposição ambiental (poluição, vento, ar condicionado e o clima seco, característico do outono/inverno brasileiro), lentes de contato, medicamentos descongestionantes, anti-histamínicos, tranquilizantes, diuréticos, benzodiazepinas, analgésicos, anticonceptivos, antidepressivos, e doenças do sistema imunológico, como lúpus e artrite reumatoide. 

Como consequência, os pacientes têm aquela sensação de grão de areia nos olhos, ardência ou queimação, coceiras constantes, sensibilidade à luz, olhos ressecados ao acordar, visão embaçada e facilidade para contrair inflamações oculares.

Se você sente um ou mais desses incômodos, procure um médico oftalmologista. A Síndrome do Olho Seco impacta na saúde ocular e na qualidade de vida, portanto merece atenção. Além das abordagens para tratar o olho seco, compartilhadas em minha segunda coluna, como uso de lubrificantes oculares, luz pulsada e lentes esclerais, vale se ater a alguns cuidados básicos: não esfregue os olhos; não leve as mãos sujas aos olhos; se puder, invista em um umidificador de ambiente; use óculos de sol com proteção UVA e UVB; aplique colírios somente prescritos pelo médico; lembre-se de piscar mais; e enquanto utilizar alguma tela, procure fazer pausas.

LEIA TAMBÉM:

Coluna Squadra Celeste: Ou lá ou cá

Série “Brasil com S” da Cervejaria Colorado chega a sua 15º Edição

Seis segredos para uma vida saudável

Alma Alvinegra: Oscilando sim, mas vemos um Galo cascudo!

Ideologia de gênero - A covardia contra nossas crianças

Como curar um Fanático

A conexão paterna e o desenvolvimento do bebê

Como a alimentação pode ajudar na Menopausa