Motocicletas, scooters ou motonetas dividem as preferências dos iniciantes no mundo das duas rodas

Motocicletas, scooters ou motonetas dividem as preferências dos iniciantes no mundo das duas rodas
Divulgação
redutea
banner redutea
banner redutea


Em tempos de pandemia, os veículos de duas rodas ganharam – felizmente – a devida atenção. Eles mostraram que podem resolver problemas com muita agilidade – seja entregando um documento, um lanche ou um remédio. Ao mesmo tempo, também como “efeito colateral” da pandemia, muitas pessoas que perderam o emprego formal se aventuraram a rodar em duas rodas. Mas qual é a melhor opção para quem quer se iniciar no mundo da mobilidade em duas rodas: uma motoneta, uma scooter ou uma motocicleta?

Avaliar as principais características desses veículos, que podem ser usados no transporte individual ou como ferramenta de trabalho, ajuda a tirar algumas dúvidas. Como, obrigatoriamente, o piloto fez (ou fará) aulas práticas com uma motocicleta para obter sua Carteira Nacional de Habilitação categoria A (a necessária para veículos motorizados de duas rodas), uma boa sugestão é ir até uma concessionária para conhecer de perto uma scooter e uma motoneta antes de decidir a compra. Daí, basta escolher o modelo mais adequado, comprar um bom capacete e ser feliz.

AS MELHORES OPÇÕES DE MOTOS VOCÊ ENCONTRA NO JORNAL BALCÃO!

Motonetas – Elas são simples de se pilotar, robustas e econômicas tanto no consumo de combustível quanto nas peças de manutenção – como pneus, corrente e lonas de freios, itens que se desgastam e devem ser substituídos com o decorrer do tempo ou uso. Outra vantagem da motoneta é a ausência do manete de embreagem, ou seja, o piloto não precisa se preocupar em apertar e soltar a embreagem nas trocas de marchas ou na hora da partida. Uma característica que reforça a popularidade das motonetas – como a Honda Biz – é o espaço embaixo do banco, onde cabe um capacete e outros objetos.

Scooters – É um tipo de veículo que faz sucesso na Europa e na Ásia e, aos poucos, cai no gosto do brasileiro. Entre elas, as mais conhecidas no Brasil são a Yamaha NMax 160 e a Honda PCX 150, que oferecem uma série de itens de conforto e facilidade de pilotagem e baixo consumo de combustível. A maioria das scooters utiliza câmbio automático que dispensa o manete de embreagem e a troca de marchas. O piloto usa apenas a mão direita (para acelerar e pressionar o freio da frente) e a mão esquerda (para o freio traseiro). Muito espaço debaixo do banco e porta objetos, além da proteção para os pés, em caso de chuva, garantem conforto. As scooters tiveram origem nas “lambretas”, um veículo motorizado de duas rodas no qual o condutor coloca suas pernas para a frente de seu tronco, sobre uma plataforma, em vez de para os lados, como ocorre nas motocicletas.

Motocicletas – É a categoria que engloba a grande maioria dos veículos de duas rodas. Para os iniciantes, são recomendados os modelos mais simples – como a Honda CG 160, o veículo motorizado mais vendido do país – e sua concorrente Yamaha Factor/Fazer 150. Motocicletas oferecem robustez e conforto para qualquer tipo de uso, seja em longas viagens ou em uso diário no trabalho, por exemplo. Todas têm em comum o uso do manete da embreagem para o acionamento das marchas, normalmente feitas com o pé esquerdo em uma alavanca.

LEIA TAMBÉM:

Aprenda a fazer a "Paella Marinera". Uma receita espanhola amada pelos brasileiros

Quem disse que frio não combina com cerveja?

Vacinação não é uma competição, mas sua velocidade salva vidas!

O que você precisa saber sobre o vilão: SALTO ALTO

O que está acontecendo com o Galo?

Desvarios do Judiciário – Os novos imperadores

Âncora ou Impulsor? O poder do seu parceiro(a) na sua carreira

O nascimento de um pai

Ceratocone tem tratamento: técnicas avançadas permitem conforto e reabilitação visual

Carrossel de emoções